AMAZONA, DE SÉRGIO SANT'ANNA, E A RESSIGNIFICAÇÃO PELA REPETIÇÃO: REUTILIZANDO AS ESTRATÉGIAS SERIALIZANTES DA CULTURA DE MASSA NA TESSITURA DA OBRA LITERÁRIA DOI: 10.5216/lep.v15i1.25142

Autores

  • Carine Daniele FRANKE Universidade Federal de Santa Maria, Rio Grande do Sul

Resumo

O presente trabalho objetivou analisar, a partir do romance Amazona, de Sérgio Sant'Anna, de que forma as práticas literárias da pós-modernidade funcionam como recuperadoras de "restos culturiais" com vistas à sua ressignificação. Em Amazona, utilizando-se de uma estrutura própria de bestsellers, com matriz no folhetim do século XIX, o autor rompe com a linha que separa de um lado, alta, e de outro, baixa literatura, mesclando duas formas de expressão sempre vistas como rivais.

 

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Carine Daniele FRANKE, Universidade Federal de Santa Maria, Rio Grande do Sul

Mestre em Letras, área de concentração em Estudos Literários, pela Universidade Federal de Santa Maria (UFSM), Rio Grande do Sul, Brasil.

 

Downloads

Publicado

2014-10-23

Como Citar

FRANKE, C. D. AMAZONA, DE SÉRGIO SANT’ANNA, E A RESSIGNIFICAÇÃO PELA REPETIÇÃO: REUTILIZANDO AS ESTRATÉGIAS SERIALIZANTES DA CULTURA DE MASSA NA TESSITURA DA OBRA LITERÁRIA DOI: 10.5216/lep.v15i1.25142. Linguagem: Estudos e Pesquisas, Goiânia, v. 15, n. 1, 2014. Disponível em: https://revistas.ufg.br/lep/article/view/32448. Acesso em: 10 ago. 2022.

Edição

Seção

Dossiê Estudos de Texto e de Discurso