RAPADURA É DOCE, MAS NÃO É MOLE: UM ESTUDO DAS RELAÇÕES RETÓRICAS DOI: 10.5216/lep.v15i2.25121

Autores

  • Ana Clara Gonçalves Alves de MEIRA Universidade Federal de Minas Gerais, Minas Gerais.

Resumo

O estudo das orações é orientado por critérios sintáticos e/ou semânticos. Propõe-se, então, um trabalho que não se prenda ao nível da frase. Como referecial teórico, utilizarse-á a Teoria da Estrutura Retórica do Texto (RST/Rhethorical Structure Theory). Para análise das orações, será usado um provérbio retirado de um texto da internet. Nota-se que observar as porções textuais, atendo-se somente ao nível da frase, torna-se insuficiente. ɠpreciso, então, considerar os critérios pragmáticos.

 

 

 

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Ana Clara Gonçalves Alves de MEIRA, Universidade Federal de Minas Gerais, Minas Gerais.

Doutoranda em Estudos Linguísticos pelo Programa de Pós-graduação em Estudos Linguísticos/ Universidade Federal de Minas Gerais,bolsista CAPES (Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior).

 

Downloads

Publicado

2014-10-22

Como Citar

MEIRA, A. C. G. A. de. RAPADURA É DOCE, MAS NÃO É MOLE: UM ESTUDO DAS RELAÇÕES RETÓRICAS DOI: 10.5216/lep.v15i2.25121. Linguagem: Estudos e Pesquisas, Goiânia, v. 15, n. 2, 2014. Disponível em: https://revistas.ufg.br/lep/article/view/32423. Acesso em: 6 out. 2022.

Edição

Seção

Artigos de temática livre