Chamada para volume 20, n. 1

2016-03-06

A proposta do número 1 do volume 20 da revista Linguagem Estudos e Pesquisas está centrada na busca de contribuições dos estudos acerca da literatura africana em língua portuguesa. Manifestações recentes na literatura em língua portuguesa permitem a observação das manifestações de alteridade ora no plano da temática – que se desdobra sob várias faces, como a violência, a memória, a história e a cultura como elos que ligam as manifestações em distintos países da África que tiveram sua colonização por parte da península ibérica –, ora no âmbito do discurso – que pode ser exemplificado pela vitimização ou pela permanência do registro da violência que caracterizou as iniciativas peninsulares no sentido de conquistar e manter um reino além de suas fronteiras naturais. Em ambas as situações, o que se percebe é a ênfase em perfis literários impregnados da instabilidade característica de sociedades que sobreviveram à custa de muito sacrifício, quando lutaram contra as formas de alteridade que buscaram impor normas culturais, como a língua e a religião, notadamente até meados do século XX. Como já ocorreu e continua a acontecer com os estudos da literatura em questão, as discussões a respeito dessas redefinições nos relacionamentos entre a cultura local e a história vêm demonstrando que a pluralidade de representações, dentro ou fora dos circuitos literários, estimula o surgimento de perspectivas que se ajustem às novas configurações e que se articulem com o conjunto de reflexões já instalado em campos como o sociológico, o psicológico, o psicanalítico, o antropológico e outros. Essas ênfases estão todas inseridas como tema e problema em textos literários que ao mesmo tempo em que refletem uma cultura que teima em permanecer a despeito dos dominadores, reproduz toda uma gama de elementos autóctones que tornaram permanentes a religião, a língua, a culinária e o jeito de amar próprios de culturas resistentes. Assim, debruçar-se hoje sobre estes textos literários que põem em cena e evidenciam novas problematizações em torno da cultura africana que se expressa em língua portuguesa significa requerer e recorrer a uma série de conceitos diversificados e também recentes que permitem entender a produção literária africana em língua portuguesa sob a perspectiva da história, da memória e do mito. O objetivo da publicação é, portanto, aprofundar uma reflexão específica em torno do debate sobre a literatura africana em língua portuguesa, entendida como uma literatura sintonizada com as expectativas de superação dos estereótipos e dos preconceitos que moveram o interesse do dominador ao longo de séculos de colonialismo e cujas marcas e rasuras permanecem como esteios a manchar uma história que, de outra forma, seria a história da mais bela formação cultural do ocidente. Serão acolhidos, dessa forma, trabalhos que se concentrem sobre a questão, seja através do olhar dirigido a um corpus contemporâneo, mais permeável ao convívio com o impacto da força de uma cultura que se caracteriza pela persistência, seja através de estudos que revisem as manifestações literárias de outros momentos, desde o começo do século XX, quando já se podia falar em literatura africana em vários lugares em que a dominação portuguesa se fez sentir.

Além dos artigos para o dossiê temático, a LINGUAGEM: Estudos e Pesquisas ainda receberá Resenhas, artigos para a Sessão Temática Livre e Entrevistas.

Organizadores do dossiê Literatura africana em língua portuguesa: Júlio César Machado de Paula (UFF) e João Batista Cardoso (UFG).

Cronograma de atividades

Data

Atividades

Até 15 de maio de 2016

Recebimento dos originais, pelos e-mails: jbccard@gmail.com    e revistalinguagem@gmail.com

Até 15 de junho de 2016

Envio de pareceres aos autores

Até 20 de julho de 2016

Informações finais e prévia para a publicação

Até 30 de julho de 2016

Publicação na página da LINGUAGEM: Estudos e Pesquisas