AVALIAÇÃO DO TESTE T-SPOT.TB NO DIAGNÓSTICO DA INFECÇÃO TUBERCULOSA LATENTE EM PACIENTES COM ARTRITE REUMATÓIDE

Autores

  • Cláudia Diniz Lopes Marques

DOI:

https://doi.org/10.5216/rpt.v37i2.5051

Resumo

Com a introdução dos Inibidores do Fator de Necrose Tumoral (anti-TNF’s) na prática reumatológica, a identificação de casos de infecção tuberculosa latente (ITBL) passou a ser obrigatória antes do início da terapêutica. O teste cutâneo da tuberculina (PPD) não é um teste de screening ideal neste grupo de pacientes, pois apresenta uma resposta inadequada de hipersensibilidade tardia, fundamental para que se produza uma resposta ao antígeno inoculado. Ensaios baseados na detecção da produção de IFNγ in vitro por células mononucleares periféricas estimuladas por antígenos específicos (ESAT-6 e CFP-10) são mais específicos do que o PPD na detecção de ITBL. O objetivo de nosso estudo foi avaliar o desempenho do T-SPOT.TB no diagnóstico de ITBL em pacientes portadores de artrite reumatóide (AR). Foi realizado um estudo transversal para avaliação de teste diagnóstico, no qual foram incluídos 96 pacientes, divididos em dois grupos: 48 portadores de AR (grupo AR) e 48 pessoas saudáveis, que constituíram o grupo de comparação (grupo COMP). Todos os voluntários foram submetidos a uma entrevista e a coleta de sangue para realização do T-SPOT.TB, seguida da inoculação do PPD. O T-SPOT.TB foi realizado de acordo com as orientações do fabricante e a leitura do PPD se deu após 72 horas da inoculação. Foram calculadas a sensibilidade e a especificidade do T-SPOT.TB, comparando-se com o padrão ouro. Sendo o PPD considerado como padrão ouro imperfeito, foram criados quatro modelos para o estudo: PPD isolado; PPD e alterações radiográficas compatíveis com ITBL; PPD e história contato intradomiciliar e, finalmente, PPD, alterações radiográficas e contato intradomiciliar. A especificidade do T-SPOT.TB variou entre 87% e 90% e o valor preditivo negativo (VPN), entre 94,4% e 100 %. A sensibilidade foi de 100% nos modelos que não incluíram o RX, caindo para 77,8% e 89,5% nos dois outros. No grupo AR, a freqüência de infecção latente diagnosticada pelo PPD foi inferior (14,6%) à encontrada no grupo de comparação (33,3%), com uma diferença estatisticamente significante (p = 0,034). Esta diferença pode ser explicada pelo comprometimento da hipersensibilidade tardia em pacientes com AR. Concluindo, podemos dizer que o T-SPOT.TB apresenta especificidade e VPN elevados, sendo capaz de identificar os casos de PPD falso-negativos, o que aumenta a segurança para o uso do anti-TNF.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Downloads

Publicado

2008-11-06

Como Citar

MARQUES, C. D. L. AVALIAÇÃO DO TESTE T-SPOT.TB NO DIAGNÓSTICO DA INFECÇÃO TUBERCULOSA LATENTE EM PACIENTES COM ARTRITE REUMATÓIDE. Revista de Patologia Tropical / Journal of Tropical Pathology, Goiânia, v. 37, n. 2, p. 185–186, 2008. DOI: 10.5216/rpt.v37i2.5051. Disponível em: https://revistas.ufg.br/iptsp/article/view/5051. Acesso em: 27 set. 2022.

Edição

Seção

RESUMO / ABSTRACTS