AVALIAÇÃO DOS CONHECIMENTOS SOBRE PARASITOSES ENTRE GESTANTES E PUÉRPERAS ATENDIDAS EM UM HOSPITAL UNIVERSITÁRIO DE NITERÓI, RJ – BRASIL

Autores

  • Adriana Pittella Sudré Departamento de Microbiologia e Parasitologia, Instituto Biomédico, Universidade Federal Fluminense (UFF), Niterói, Rio de Janeiro, Brazil.
  • Davi Costa dos Santos Graduandos do Curso de Graduação em Medicina, UFF, Niterói, Rio de Janeiro, Brazil
  • Jennyfer Gagliano Paulics Graduandos do Curso de Graduação em Medicina, UFF, Niterói, Rio de Janeiro, Brazil
  • Renata Rosental Graduandos do Curso de Graduação em Medicina, UFF, Niterói, Rio de Janeiro, Brazil
  • Ana Beatriz Monteiro Fonseca Departamento de Estatística, Instituto de Matemática e Estatística, UFF, Niterói, Rio de Janeiro, Brazil.
  • Patricia Riddell Millar Departamento de Microbiologia e Parasitologia, Instituto Biomédico, Universidade Federal Fluminense (UFF), Niterói, Rio de Janeiro, Brazil.

DOI:

https://doi.org/10.5216/rpt.v44i4.39229

Palavras-chave:

Parasito, conhecimento, gestação

Resumo

As infecções parasitárias são frequentes no Brasil durante a gestação. O objetivo do presente estudo foi avaliar o conhecimento sobre parasitoses entre gestantes e puérperas atendidas em um Hospital Universitário Público de Niterói-RJ, Brasil. A avaliação foi realizada por meio de entrevista para preenchimento de um questionário padrão. Foram realizadas 100 entrevistas (60 gestantes e 40 puérperas). O grau de escolaridade não influenciou no conhecimento sobre parasitoses. Grande parte das entrevistadas afirmou possuir hábito de sempre lavar as mãos após ir ao banheiro e antes das refeições. O consumo de frutas e vegetais foi prevalente, mas 17% afirmaram não higienizá-los antes do consumo e 39% afirmaram consumir carne crua ou mal cozida. O nível de escolaridade e o número de gestações não influenciaram nos hábitos de higiene. O início tardio do acompanhamento pré-natal e o número de gestações não influenciaram no conhecimento sobre parasitos. Além disso, não se verificou correlação entre a data de início do pré-natal e o número de respostas corretas no questionário. Da mesma forma, não houve associação entre a data de início do pré-natal e o recebimento de informações sobre infecções parasitárias. Das entrevistadas, 79% afirmaram não ter recebido qualquer informação sobre parasitoses e os malefícios que poderiam causar a elas e/ ou ao bebê. Apesar dos avanços na assistência pré-natal na última década, a falta de conhecimento entre gestantes e puérperas acerca de parasitoses e fatores de risco para infecção ainda persiste

Downloads

Não há dados estatísticos.

Downloads

Publicado

2015-12-28

Como Citar

SUDRÉ, A. P.; DOS SANTOS, D. C.; PAULICS, J. G.; ROSENTAL, R.; FONSECA, A. B. M.; MILLAR, P. R. AVALIAÇÃO DOS CONHECIMENTOS SOBRE PARASITOSES ENTRE GESTANTES E PUÉRPERAS ATENDIDAS EM UM HOSPITAL UNIVERSITÁRIO DE NITERÓI, RJ – BRASIL. Revista de Patologia Tropical / Journal of Tropical Pathology, Goiânia, v. 44, n. 4, p. 465–477, 2015. DOI: 10.5216/rpt.v44i4.39229. Disponível em: https://revistas.ufg.br/iptsp/article/view/39229. Acesso em: 15 jul. 2024.

Edição

Seção

ARTIGOS ORIGINAIS / ORIGINAL ARTICLES