LEISHMANIOSE VISCERAL CANINA: COMPARAÇÃO DE MÉTODOS SOROLÓGICOS EM CÃES DE ÁREA INDENE DO RIO GRANDE DO SUL NO BRASIL

Autores

  • Lourdes C. Hirschmann Doutoranda em Medicina Veterinária, Universidade Federal de Pelotas (UFPel), Pelotas, RS, Brasil.
  • Claudiomar S. Brod Centro de Zoonoses, UFPel, Pelotas, RS, Brasil.
  • Jaqueline Radin Doutorandas em Parasitologia, UFPel, Pelotas, RS, Brasil.
  • Caroline F. Simon Doutorandas em Parasitologia, UFPel, Pelotas, RS, Brasil.
  • Ana Lúcia C. Recuero Medicina Veterinária, UFPel, Pelotas, RS, Brasil.

DOI:

https://doi.org/10.5216/rpt.v44i1.34799

Palavras-chave:

Leishmania chagasi, zoonoses, diagnóstico.

Resumo

Neste estudo foi realizado um levantamento da presença de cães soropositivos em canis de 12municípios do Rio Grande do Sul, comparando-se métodos e protocolos de diagnóstico. Comisso, pode-se detectar precocemente uma possível disseminação da doença e, consequentemente,incentivar campanhas de controle e prevenção e evitar futuros surtos. Este estudo foi realizadoem uma área do RS sem diagnóstico de leishmaniose visceral canina (LVC), sendo avaliado umtotal de 165 cães. A pesquisa sorológica foi realizada por meio das técnicas de imunofluorescênciaindireta (IFI), ensaio imunoenzimático (ELISA) e Dual Plate Plataform (DPP). Constataram-setaxas de 33,9% (56/165) na IFI, 6,7% (11/165) no DPP, 3,0% (5/165) na IFI e DPP e 6,1% (10/165)no ELISA. Dentre os resultados confirmados no ELISA, cinco (5/10) foram reagentes na IFI, dosquais, desconsiderando-se os dois que foram soropositivos apenas no ELISA e IFI, resultaram trêscães (3/10) soropositivos no DPP e ELISA, conforme o protocolo atual preconizado pelo Ministérioda Saúde. Também foi feita a comparação entre os testes de diagnóstico para verificar acurácia evalor kappa. Ao considerar somente resultados positivos no DPP e IFI, a acurácia aumentou para94,6%, com um valor Kappa=0,375, ou seja, com uma concordância considerável. Conclui-se quea pesquisa em áreas do RS sem diagnóstico de LVC revelou a presença de cães sororreagentes emquatro municípios do estado: Cachoeira do Sul (2), São Francisco de Assis (1), Dom Pedrito (1) eRio Grande (1).

Downloads

Não há dados estatísticos.

Downloads

Publicado

2015-04-02

Como Citar

HIRSCHMANN, L. C.; BROD, C. S.; RADIN, J.; SIMON, C. F.; RECUERO, A. L. C. LEISHMANIOSE VISCERAL CANINA: COMPARAÇÃO DE MÉTODOS SOROLÓGICOS EM CÃES DE ÁREA INDENE DO RIO GRANDE DO SUL NO BRASIL. Revista de Patologia Tropical / Journal of Tropical Pathology, Goiânia, v. 44, n. 1, p. 33–44, 2015. DOI: 10.5216/rpt.v44i1.34799. Disponível em: https://revistas.ufg.br/iptsp/article/view/34799. Acesso em: 26 maio. 2024.

Edição

Seção

ARTIGOS ORIGINAIS / ORIGINAL ARTICLES