OCORRÊNCIA DE PARASITOS INTESTINAIS EM HORTALIÇAS COMERCIALIZADAS EM FEIRAS NO DISTRITO FEDERAL, BRASIL

Autores

  • Divanete de Farias Maciel Faculdade Anhanguera de Brasília (FAB), DF.
  • Rodrigo Gurgel Goncalves Laboratório de Parasitologia Médica e Biologia de Vetores, Faculdade de Medicina, Universidade de Brasília (UNB), DF.
  • Eleuza Rodrigues Machado Faculdade Anhanguera de Brasília (FAB), DF. Laboratório de Parasitologia Médica e Biologia de Vetores, Faculdade de Medicina, Universidade de Brasília (UNB), DF.

DOI:

https://doi.org/10.5216/rpt.v43i3.32216

Palavras-chave:

Vegetais, helmintos, protozoários, enteroparasitos

Resumo

Infecções parasitárias ocorrem em decorrência de precárias condições sanitárias e maus hábitos de higienização. Hortaliças comercializadas em feiras livres podem representar risco para a saúde pública por serem consumidas cruas pela população e, eventualmente, estarem contaminadas com cistos de protozoários, ovos e/ou larvas de helmintos parasitos. Com o objetivo de descrever a ocorrência desses organismos em hortaliças comercializadas em feiras, foram analisadas amostras de agrião (Nasturtium officinale R. Br), alface-crespa (Lactuca sativa L.) e rúcula (Eruca sativa Mill) em dez Regiões Administrativas do Distrito Federal, no período de fevereiro a abril de 2013, pelo método de sedimentação espontânea. Observou-se que todas as feiras comercializavam hortaliças contaminadas por algum organismo (protozoários, helmintos e/ou artrópodes). Os parasitos intestinais detectados foram Entamoeba sp.,  E. coli, Strongyloides sp.,  Ascaris sp,  Enterobius vermicularis e Ancylostomidae. Concluiu-se que as hortaliças comercializadas nas feiras públicas do DF podem veicular parasitos intestinais caso não sejam devidamente higienizadas.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Downloads

Publicado

2014-10-09

Como Citar

MACIEL, D. de F.; GONCALVES, R. G.; MACHADO, E. R. OCORRÊNCIA DE PARASITOS INTESTINAIS EM HORTALIÇAS COMERCIALIZADAS EM FEIRAS NO DISTRITO FEDERAL, BRASIL. Revista de Patologia Tropical / Journal of Tropical Pathology, Goiânia, v. 43, n. 3, p. 351–359, 2014. DOI: 10.5216/rpt.v43i3.32216. Disponível em: https://revistas.ufg.br/iptsp/article/view/32216. Acesso em: 25 jul. 2024.

Edição

Seção

ARTIGOS ORIGINAIS / ORIGINAL ARTICLES