ESQUISTOSSOMOSE NO NORTE DO ESTADO DO ESPÍRITO SANTO, BRASIL.

Autores

  • Renan Florindo Amorim Laboratório de Análises Clínicas, Departamento de Ciências da Saúde, Centro Universitário Norte do Espírito Santo, Universidade Federal do Espírito Santo, ES.
  • Janaina dos Santos Maciel Laboratório de Análises Clínicas, Departamento de Ciências da Saúde, Centro Universitário Norte do Espírito Santo, Universidade Federal do Espírito Santo, ES.
  • Fabiana Mendonca Ambrozim Laboratório de Análises Clínicas, Departamento de Ciências da Saúde, Centro Universitário Norte do Espírito Santo, Universidade Federal do Espírito Santo, ES.
  • Clarissa Pereira de Almeida Laboratório de Análises Clínicas, Departamento de Ciências da Saúde, Centro Universitário Norte do Espírito Santo, Universidade Federal do Espírito Santo, ES.
  • Naizillah de Oliveira Albuquerque Laboratório de Análises Clínicas, Departamento de Ciências da Saúde, Centro Universitário Norte do Espírito Santo, Universidade Federal do Espírito Santo, ES.
  • Damila Andrion Venturin Laboratório de Análises Clínicas, Departamento de Ciências da Saúde, Centro Universitário Norte do Espírito Santo, Universidade Federal do Espírito Santo, ES.
  • Vanessa Ghidetti Alvarenga Telles Drogasil, Vitória, ES.
  • Dayane Hoffmam Crause Laboratório de Análises Clínicas, Departamento de Ciências da Saúde, Centro Universitário Norte do Espírito Santo, Universidade Federal do Espírito Santo, ES.
  • Aparecida Rios Soares Laboratório de Análises Clínicas, Departamento de Ciências da Saúde, Centro Universitário Norte do Espírito Santo, Universidade Federal do Espírito Santo, ES.
  • Marco Antônio Andrade de Souza Laboratório de Análises Clínicas, Departamento de Ciências da Saúde, Centro Universitário Norte do Espírito Santo, Universidade Federal do Espírito Santo, ES.

DOI:

https://doi.org/10.5216/rpt.v43i3.32206

Palavras-chave:

Schistosoma mansoni, Conceição da Barra, migrantes, transmissão

Resumo

Estima-se que o Schistosoma mansoni esteja presente em 19 estados brasileiros e um dos fatores responsáveis pela expansão da esquistossomose é a migração de indivíduos de áreas endêmicas, principalmente do Nordeste do país. O presente estudo teve por objetivo avaliar a ocorrência da esquistossomose entre trabalhadores, migrantes da Região Nordeste do país, que atuavam em Conceição da Barra, norte do Espírito Santo, no corte da cana-de-açúcar para uma indústria de produção de álcool. Para a determinação dos parasitos intestinais, foram utilizadas as técnicas de sedimentação espontânea e Kato-Katz. Dos 287 indivíduos analisados, 45 (15,7%), provenientes dos estados de Alagoas, Pernambuco e Bahia, estavam positivos para S. mansoni. Do total de positivos, 38 (84,4%) eram provenientes do estado de Alagoas, 6 (13,3%) do estado de Pernambuco e apenas 1 (2,2%) do estado da Bahia. Os resultados indicam a possibilidade de expansão da esquistossomose na região norte do Espírito Santo.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Downloads

Publicado

2014-10-09

Como Citar

AMORIM, R. F.; MACIEL, J. dos S.; AMBROZIM, F. M.; DE ALMEIDA, C. P.; ALBUQUERQUE, N. de O.; VENTURIN, D. A.; ALVARENGA TELLES, V. G.; CRAUSE, D. H.; SOARES, A. R.; DE SOUZA, M. A. A. ESQUISTOSSOMOSE NO NORTE DO ESTADO DO ESPÍRITO SANTO, BRASIL. Revista de Patologia Tropical / Journal of Tropical Pathology, Goiânia, v. 43, n. 3, p. 323–331, 2014. DOI: 10.5216/rpt.v43i3.32206. Disponível em: https://revistas.ufg.br/iptsp/article/view/32206. Acesso em: 25 jul. 2024.

Edição

Seção

ARTIGOS ORIGINAIS / ORIGINAL ARTICLES