TOXOPLASMOSE: CORRELAÇÃO ENTRE TÍTULOS DE ANTICORPOS FLUORESCENTES NO SORO E NO LÍQUIDO CÉFALO-RAQUIDIANO

Autores

  • Sebastião Unes

DOI:

https://doi.org/10.5216/rpt.v2i3.22725

Resumo

O Autor realizou 326 reações de imunofluorescência, sendo 163 no soro e 163 no líquido céfalo-raquidiano, de material colhido, concomintantemente, em pacientes de clínica neurológica.
A análise dos resultados mostrou que 49,07% de soros deram reações positivas para a diluição de 1/1.024 ou acima; 26,99% para as diluições de 1/16 a 1/256 e 23,92% foram negativas.
No liquor, 44,78% apresentaram reações negativas enquanto que 55,21% foram positivas para as diluições empregadas da forma seguinte: liquor puro, diluído a 1/4, 1/16, 1/64 e 1/256.
Conclui pela inclusão da reação de imunofluorescência para toxoplasmose na rotina do liquor e pela não diluição do mesmo ou, quando solicitada, nas proporções acima. Não diluido, o
resultado poderá ser expresso como Positivo de -l- até -l- -l- -l- -I-, dependendo da intensidade de fluorescência.
Aproximadamente, quando o liquor for Positivo -l-, corresponderá a um título de 1/256 a 1/1.024 no sangue
— Positivo -l- -I- de l /1.024 a 1/16.000 — Positivo -l- -l- -l- ou
-1--I--I--I- acima de 1/4.096.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Downloads

Como Citar

UNES, S. TOXOPLASMOSE: CORRELAÇÃO ENTRE TÍTULOS DE ANTICORPOS FLUORESCENTES NO SORO E NO LÍQUIDO CÉFALO-RAQUIDIANO. Revista de Patologia Tropical / Journal of Tropical Pathology, Goiânia, v. 2, n. 3, 2007. DOI: 10.5216/rpt.v2i3.22725. Disponível em: https://revistas.ufg.br/iptsp/article/view/22725. Acesso em: 23 jul. 2024.

Edição

Seção

ARTIGOS ORIGINAIS / ORIGINAL ARTICLES