AVALIAÇÃO CLÍNICA DA METOCLOPRAMIDA COMO ANTIEMÉTICO APÓS O USO DE HYCANTHONE NA ESQUISTOSSOMOSE MANSONI CRÔNICA

Autores

  • João Carlos Pinto Dias
  • Naftale Katz

DOI:

https://doi.org/10.5216/rpt.v4i3.22436

Resumo

Cento e treze pacientes (7 a 18 anos de idade) com esquistossomose mansoni crônica foram tratados com 2,5 mg/kg de hycanthone e receberam 10 mg i.m. de metoclopramida ou placebo visando-se a prevenção de vômitos.
A avaliação, realizada em ensaio duplo cego por 2 observadores independentes, não revelou nenhum benefício da metoclopramida em relação ao grupo controle, tanto quando este antiemético foi aplicado simultaneamente com o hycanthone como quando administrado 4 horas após. Ressalta-se a necessidade de emprego de metodologia rigorosa neste tipo de ensaio, deixando em aberto a necessidade de estudo de maiores doses da metoclopramida no tocante ao objetívo em
questão.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Downloads

Como Citar

PINTO DIAS, J. C.; KATZ, N. AVALIAÇÃO CLÍNICA DA METOCLOPRAMIDA COMO ANTIEMÉTICO APÓS O USO DE HYCANTHONE NA ESQUISTOSSOMOSE MANSONI CRÔNICA. Revista de Patologia Tropical / Journal of Tropical Pathology, Goiânia, v. 4, n. 3, 2007. DOI: 10.5216/rpt.v4i3.22436. Disponível em: https://revistas.ufg.br/iptsp/article/view/22436. Acesso em: 25 jul. 2024.

Edição

Seção

ARTIGOS ORIGINAIS / ORIGINAL ARTICLES