ANÁLISE PARASITOLÓGICA EM EFLUENTES DE ESTAÇÕES DE TRATAMENTO DE ÁGUAS RESIDUÁRIAS

Autores

  • Jeferson Gaspar dos Santos
  • Roque Passos Piveli
  • Fabio Campos
  • Gilberto Sundefeld
  • Thaila Santana Sousa
  • Silvana Audra Cutolo

DOI:

https://doi.org/10.5216/rpt.v41i3.20752

Palavras-chave:

Helmintos, Reúso de água, Tratamento de esgoto, Saúde pública.

Resumo

O reúso de esgoto tratado na agricultura tem se consolidado mundialmente como forma de atenuaros efeitos da diminuição da disponibilidade de água de boa qualidade no globo. Contudo, estaprática oferece riscos à saúde pública em razão dos organismos patogênicos capazes de sobreviverno esgoto, entre os quais a OMS destaca os protozoários e os helmintos parasitos do homem. Opresente trabalho teve como objetivos detectar a presença dos parasitos intestinais de importânciasanitária presentes no esgoto tratado e verificar os riscos potenciais de acordo com as diretrizesda OMS. Amostras de efluentes foram coletadas em duas estações de tratamento localizadas nacidade de Piracicaba, estado de São Paulo. A média de ovos de helmintos no período de estudo nasETEs Cecap e Piracicamirim foi de 3,78 e 0,89 ovos/L, respectivamente. Sendo assim, os efluentesprovenientes da ETE Cecap atendem às condições de reúso indicadas na categoria C. Os efluentesda estação Piracicamirim estão em conformidade com as condições de reúso das categorias A e B,nas quais, segundo a diretriz da OMS (49), são necessários valores ?1 ovo/L.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Downloads

Como Citar

SANTOS, J. G. dos; PIVELI, R. P.; CAMPOS, F.; SUNDEFELD, G.; SOUSA, T. S.; CUTOLO, S. A. ANÁLISE PARASITOLÓGICA EM EFLUENTES DE ESTAÇÕES DE TRATAMENTO DE ÁGUAS RESIDUÁRIAS. Revista de Patologia Tropical / Journal of Tropical Pathology, Goiânia, v. 41, n. 3, 2012. DOI: 10.5216/rpt.v41i3.20752. Disponível em: https://revistas.ufg.br/iptsp/article/view/20752. Acesso em: 30 jan. 2023.

Edição

Seção

ARTIGOS ORIGINAIS / ORIGINAL ARTICLES