OCORRÊNCIA DE HELMINTOS GASTRINTESTINAIS E AVALIAÇÃO DE MÉTODOS DE DIAGNÓSTICO, EM CÃES DE BELO HORIZONTE, MINAS GERAIS

Autores

  • Andréa Caetano da Silva
  • José Divino Lima
  • Mônica M* de Oliveira Pinho Cerqueira
  • Paulo Roberto de Oliveira

DOI:

https://doi.org/10.5216/rpt.v23i1.20034

Resumo

Amostras de fezes de 313 cães vadios e de 45 cães atendidos em clínicas veterinárias de BeloHorizonte foram examinadas peto método de flutuação com solução açucarada de sacarose, para detectara presença de ovos de helmintos. Destas amostras. 59 foram examinadas pelo método de sedimentaçãopara comparação entre os métodos. Vinte e dois animais foram sacrificados. O conteúdo gastrintestinalfoi recolhido e fixado em formol a 10%, a quente, para contagem e identificação dos helmintos presentes.Ovos de ancilostomídeos foram os mais frequentes em cães vadios (79,0%) e de Trickuris vulpcs em cãesatendidos em clínicas (33,3%). Associação entre espécies foi observada em 47 (15,0%) e 3 (6,7%)amostras de fezes de cães de rua e atendidos em clínicas, respectivamente. O método de flutuação foisignificativamente (p<0,05) melhor do que o de sedimentação, para o diagnóstico das helminloscsgastrintcslinais. A necropsia, 90,9% dos cães foram positivos para Ancylostoma spp.. 86,4% paraDipyltdium caninum, 59,0% para T. vulpis e 45,5% para Toxocara canis.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Downloads

Como Citar

SILVA, A. C. da; LIMA, J. D.; CERQUEIRA, M. M. de O. P.; OLIVEIRA, P. R. de. OCORRÊNCIA DE HELMINTOS GASTRINTESTINAIS E AVALIAÇÃO DE MÉTODOS DE DIAGNÓSTICO, EM CÃES DE BELO HORIZONTE, MINAS GERAIS. Revista de Patologia Tropical / Journal of Tropical Pathology, Goiânia, v. 23, n. 1, 2007. DOI: 10.5216/rpt.v23i1.20034. Disponível em: https://revistas.ufg.br/iptsp/article/view/20034. Acesso em: 16 jul. 2024.

Edição

Seção

ARTIGOS ORIGINAIS / ORIGINAL ARTICLES