VÍRUS ENTÉRICOS VEICULADOS POR ÁGUA:ASPECTOS MICROBIOLÓGICOS E DECONTROLE DE QUALIDADE DA ÁGUA

Autores

  • Talissa de Moraes Tavares
  • Divina das Dores de Paula Cardoso
  • Wilia Marta Elsner Diederichsen de Brito

DOI:

https://doi.org/10.5216/rpt.v34i2.1914

Resumo

Os vírus entéricos humanos são importantes causas de enfermidades veiculadas através da água. Esses patógenos, que são eliminados em grandes quantidades pelas fezes de indivíduos infectados, podem permanecer viáveis e infecciosos durante vários meses no ambiente e, assim, contaminar águas destinadas ao consumo humano, além de resistirem aos atuais processos de tratamento da água e do esgoto aplicados no controle bacteriano. Dessa forma, a qualidade de águas tratadas nem sempre é garantida em termos de segurança virológica, pois os atuais indicadores do grupo coliforme determinam somente a segurança bacteriológica da água. Os vírus são mais difíceis de serem detectados que as bactérias em amostras ambientais, especialmente em águas, nas quais estes microrganismos normalmente são encontrados em menor número. Sendo parasitas intracelulares obrigatórios, não se multiplicam; tornam-se necessárias, então, a análise de amostras de água volumosas e a escolha de métodos de concentração com grande eficiência de recuperação para as partículas virais. Além disso, muitos patógenos virais transmitidos através da água são microrganismos fastidiosos, que dificilmente são isolados pelos métodos tradicionais de rotina, como a cultura celular, o que torna ideal a utilização de técnicas de detecção muito sensíveis e que exijam complexas implementações. Com os avanços recentes nas técnicas laboratoriais em parâmetros de concentração viral e com a descoberta de métodos moleculares altamente sensíveis e específicos, como a reação em cadeia pela polimerase (PCR), tem sido possível aumentar o número de investigações no campo da virologia aquática. Isso provavelmente possibilitará a elaboração e a adoção de medidas preventivas que minimizem a contaminação da água por agentes virais que, até o momento, somente são realizadas em situações ocasionais de controle pelas autoridades sanitárias.

 

 

Downloads

Não há dados estatísticos.

Downloads

Publicado

2007-10-19

Como Citar

TAVARES, T. de M.; CARDOSO, D. das D. de P.; DE BRITO, W. M. E. D. VÍRUS ENTÉRICOS VEICULADOS POR ÁGUA:ASPECTOS MICROBIOLÓGICOS E DECONTROLE DE QUALIDADE DA ÁGUA. Revista de Patologia Tropical / Journal of Tropical Pathology, Goiânia, v. 34, n. 2, 2007. DOI: 10.5216/rpt.v34i2.1914. Disponível em: https://revistas.ufg.br/iptsp/article/view/1914. Acesso em: 24 jul. 2024.

Edição

Seção

REVISÃO / REVIEW