CARACTERIZAÇÃO BIOLÓGICA E MOLECULARDE QUATRO CEPAS DE Trypanosoma cruzi

Autores

  • Maria Aparecida da Silva
  • Gisele Alborguetti Nai
  • João Aristeu da Rosa

DOI:

https://doi.org/10.5216/rpt.v35i3.1882

Resumo

Com o objetivo de caracterizar quatro cepas de Trypanosoma cruzi isoladas de pacientes chagásicos crônicos, procedentes de diversas áreas geográficas, residentes na região de Araraquara – SP, parâmetros biológicos e moleculares foram avaliados. As cepas foram denominadas AMJM, BFS, NBR e NCS. Para estudar o comportamento biológico das cepas, três grupos de camundongos Swiss, pesando 10-12g foram inoculados intraperitonealmente com formas sangüíneas das cepas em estudo. Foram avaliados os seguintes parâmetros: período pré-patente, curvas de parasitemia, morfologia do parasito no sangue periférico, taxas de mortalidade e lesões histopatológicas. Três cepas apresentaram parasitemia patente com períodos pré-patentes variáveis, baixa parasitemia e formas tripomastigotas largas durante todo o curso da infecção. Uma cepa apresentou parasitemia subpatente. Nenhuma das cepas ocasionou mortalidade nos animais inoculados. Estudo histopatológico mostrou ninhos de formas amastigotas no músculo cardíaco de animais infectados com as cepas AMJM e NBR. Observou-se reação inflamatória, variando de discreta a moderada, no músculo cardíaco para todas as cepas estudadas. Reação inflamatória nos músculos da parede intestinal foi observada somente nos camundongos infectados com a cepa BFS. Observou-se reação inflamatória nos músculos esqueléticos dos camundongos infectados com as cepas AMJM, BFS e NCS. Reação inflamatória no fígado foi observada para as cepas AMJM e NBR. Os parâmetros biológicos observados permitiram a classificação de todas as cepas no Biodema Tipo II. Para tipagem molecular o DNA do parasito foi extraído de formas epimastigotas mantidas em meio LIT. Parte do espaçador não transcrito do gene de miniexon foi amplificado por meio de PCR. Produtos amplificados de 250 pb foram observados para todas as cepas. Os dados biológicos e moleculares permitiram a classificação destas cepas como T. cruzi II.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Downloads

Publicado

2007-10-17

Como Citar

DA SILVA, M. A.; NAI, G. A.; DA ROSA, J. A. CARACTERIZAÇÃO BIOLÓGICA E MOLECULARDE QUATRO CEPAS DE Trypanosoma cruzi. Revista de Patologia Tropical / Journal of Tropical Pathology, Goiânia, v. 35, n. 3, p. 213–226, 2007. DOI: 10.5216/rpt.v35i3.1882. Disponível em: https://revistas.ufg.br/iptsp/article/view/1882. Acesso em: 24 jul. 2024.

Edição

Seção

ARTIGOS ORIGINAIS / ORIGINAL ARTICLES