HELMINTOS PARASITOSEM AVES ANSERIFORMESQUE OCORREM EM GOIÁS

Autores

  • Ana Carolina Ribeiro Machado
  • Olívia Moreira Lima
  • José Luíz de Barros Araújo

DOI:

https://doi.org/10.5216/rpt.v35i3.1879

Resumo

Com o intuito de unir áreas da Biologia, Parasitologia e Ornitologia, que até então caminhavam independentes, foi realizado um levantamento dos principais helmintos parasitos que ocorrem em aves Anseriformes em Goiás. Para isso, as fontes de pesquisa utilizadas foram os trabalhos sobre a composição da avifauna do estado de Goiás, nos quais constam 11 espécies pertencentes à ordem Anseriformes: Anhima cornuta e Chauna torquata representantes da família Anhimidae e Anas braziliensis, Cairina moschata, Dendrocygna autumnalis, D. bicolor, D. viduata, Mergus octosetaceus, Neochen jubata, Oxyura dominica, Sarkidiornis melanoto, representantes da família Anatidae. Em relação aos helmintos parasitos que acometem essas espécies de aves, haviam sido catalogados até então: Amphistoma hirudo, Strigea sphaerocephala, Zigocotyle lunatum, Neivaia cymbium, Echinostoma revolutum, Echinostoma mendax, Ophthalmophagus magalhãesi, Prosthogonimus sp, Typhlocoelum cucumerinum, como espécies de trematódeos e Trichostrongylus nigricinctus, Paramidostomum pulchrum, Tetrameres sp, Heterakis gallinarum, Heterakis sp, Hadjelia neglecta e Subulura sp como espécies de nematódeos. Além do levantamento e descrição dos helmintos, foi também descrita a biologia das aves, incluindo suas características gerais, modo de vida e hábitos alimentares. Das 11 espécies de aves, 7 apresentaram helmintos já identificados na literatura e destas, 3 são hospedeiros definitivos de trematódeos e nematódeos, 3 apenas de trematódeos e 1 espécie como hospedeiro definitivo de nematódeo. Para quatro espécies não foi encontrada, na literatura, nenhuma referência a helmintos, embora haja possibilidade de infecções.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Downloads

Publicado

2007-10-17

Como Citar

MACHADO, A. C. R.; LIMA, O. M.; ARAÚJO, J. L. de B. HELMINTOS PARASITOSEM AVES ANSERIFORMESQUE OCORREM EM GOIÁS. Revista de Patologia Tropical / Journal of Tropical Pathology, Goiânia, v. 35, n. 3, p. 185–198, 2007. DOI: 10.5216/rpt.v35i3.1879. Disponível em: https://revistas.ufg.br/iptsp/article/view/1879. Acesso em: 23 jul. 2024.

Edição

Seção

ATUALIZAÇÃO / UP TO DATE