INFECÇÃO INTRA-UTERINA E EVOLUÇÃO DA IMUNIDADE PASSIVA CONTRA O PARVOVÍRUS BOVINO

Autores

  • Silvia de Oliveira Húbner
  • Rudi Weiblen
  • Beatriz Inês Holdefer
  • Adriana Moraes da Silva
  • Mauro Pires Moraes

DOI:

https://doi.org/10.5216/rpt.v25i2.18485

Resumo

Determinou-se a frequência de infecção intra-uterina pelo parvovírus bovino (BPV) através deanálise de amostras de soro de terneiras coletadas antes da ingestão de colostro. Para determinar-se aevolução dos anticorpos colostrais contra o BPV, amostras de soro também foram coletadas às 6, 12 e 24horas após o nascimento, semanalmente, do 7° até o 63° dias de idade, e depois mensalmente, até 180dias. O estudo foi realizado através do teste de inibição da hemaglutinação (M). Os testes revelaram umataxa de 100,0% (40/40) de infecção intra-uterina. Os anticorpos colostrais contra o BPV mantiveram-seem níveis detectáveis até o final do experimento.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Downloads

Como Citar

HÚBNER, S. de O.; WEIBLEN, R.; HOLDEFER, B. I.; SILVA, A. M. da; MORAES, M. P. INFECÇÃO INTRA-UTERINA E EVOLUÇÃO DA IMUNIDADE PASSIVA CONTRA O PARVOVÍRUS BOVINO. Revista de Patologia Tropical / Journal of Tropical Pathology, Goiânia, v. 25, n. 2, 2007. DOI: 10.5216/rpt.v25i2.18485. Disponível em: https://revistas.ufg.br/iptsp/article/view/18485. Acesso em: 24 jul. 2024.

Edição

Seção

ARTIGOS ORIGINAIS / ORIGINAL ARTICLES