IMPACTO DO TRATAMENTO ANTIPARASITÁRIO SOBRE A PREVALÊNCIA DE ECTOPARASITOS EM CÃES DE UMA TERRA INDÍGENA, ESTADO DO PARANÁ, BRASIL

Autores

  • Letícia Prates
  • Flávio Haragushiku Otomura
  • Lúcio Tadeu Mota
  • Max Jean de Ornelas Toledo

DOI:

https://doi.org/10.5216/rpt.v42i3.26923

Palavras-chave:

Ectoparasitos, Cães, Miíase, Território indígena, Ivermectina

Resumo

Neste estudo são relatados os resultados de inquéritos ectoparasitológicos realizados em cães de uma aldeia indígena do Estado do Paraná, sul do Brasil, antes e após os tratamentos com ivermectina. De abril a junho de 2008, foi realizado um inquérito incial avaliando-se 145 de uma população estimada de 200 cães. Os animais foram avaliados clínica e parasitologicamente e tratados com até quatro doses de ivermectina. Em setembro do mesmo ano foi realizado um inquérito de monitoramento com 83 cães para avaliar o impacto do tratamento sobre a prevalência das ectoparasitoses. Na investigação inicial foram encontrados 9 taxa de ectoparasitas em 37,9% dos animais examinados. A ectoparasitose mais prevalente foi a miíase causada por larvas de Dermatobia hominis (28,9%). Na avaliação clínica, 51% dos cães apresentavam sinais de sarna e a alopecia foi o mais prevalente ocorrendo em 48,9% dos cães. No inquérito de monitoramento, a prevalência total de ectoparasitas (40,9%) não se alterou significativamente; parasitismo por D. hominis (22,9%) manteve-se o mais freqüente, seguido por Ctenocephalides felis felis (18,1%). No entanto, a prevalência de sinais de sarna sarcóptica (12,0%) foi significativamente reduzida (p <0,0001) pelo tratamento antiparasitário. Após o tratamento, 51,3% dos animais não tinha infestação por ectoparasitas. Estes resultados indicam que os cães desta aldeia indígena permanecem como importante hospedeiro para ectoparasitas, apesar da melhora clínica obtida com o tratamento com ivermectina.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Downloads

Como Citar

PRATES, L.; OTOMURA, F. H.; MOTA, L. T.; ORNELAS TOLEDO, M. J. de. IMPACTO DO TRATAMENTO ANTIPARASITÁRIO SOBRE A PREVALÊNCIA DE ECTOPARASITOS EM CÃES DE UMA TERRA INDÍGENA, ESTADO DO PARANÁ, BRASIL. Revista de Patologia Tropical / Journal of Tropical Pathology, Goiânia, v. 42, n. 3, 2013. DOI: 10.5216/rpt.v42i3.26923. Disponível em: https://revistas.ufg.br/iptsp/article/view/26923. Acesso em: 2 dez. 2022.

Edição

Seção

ARTIGOS ORIGINAIS / ORIGINAL ARTICLES