AVALIAÇÃO CLÍNICA TOXICÓLOGICA PRELIMINAR DO VITICROMIN EM PACIENTES COM VITILIGO

Autores

  • Anatel R. Leão Farmacêutica Coordenadora de Pesquisa Clínica do Serviço de Cardiologia do Hospital das Clínicas da Universidade Federal de Goiás

DOI:

https://doi.org/10.5216/ref.v2i1.1943

Resumo

O Brosimum gaudichaudii Trécul (Moraceae) é uma planta muito comum no Cerrado brasileiro, conhecida por “mamacadela”, “mamica de cadela”, e “algodão” e popularmente empregada no tratamento de combate do vitiligo. Nesta planta encontram-se as furanocumarinas, principalmente psoraleno e bergapteno, que possuem a capacidade fotossensibilizante, sendo responsáveis pelo efeito da repigmentação. O Brosimum gaudichaudii é o principal componente ativo do medicamento comercializado com o nome Viticromin®, elaborado a partir da porção inferior do caule e das raízes. Seu mecanismo de ação ainda não está esclarecido. O fato de um produto ter origem natural não significa que esteja livre de toxicidade. Considerando a baixa toxicidade do extrato de raiz de Brosimum gaudichaudii nos estudos toxicológicos pré-clínicos, foi realizado o estudo em pacientes portadores de vitiligo para verificação toxicológica. Os resultados não apresentaram alterações significativas entre os grupos no período em que receberam o tratamento. 10.5216/ref.v2i1.1943

Downloads

Não há dados estatísticos.

Downloads

Publicado

2007-10-19

Como Citar

LEÃO, A. R. AVALIAÇÃO CLÍNICA TOXICÓLOGICA PRELIMINAR DO VITICROMIN EM PACIENTES COM VITILIGO. Revista Eletrônica de Farmácia, Goiânia, v. 2, n. 1, 2007. DOI: 10.5216/ref.v2i1.1943. Disponível em: https://revistas.ufg.br/REF/article/view/1943. Acesso em: 30 jun. 2022.

Edição

Seção

Artigos Originais