ESTOQUES DE CARBONO E BIOMASSA NO SEMIÁRIDO BAIANO (1973 A 2019)

Autores

  • Carlos Magno Santos Clemente Pontifícia Universidade Católica de Minas Gerais (PUC-MG), Belo Horizonte, Minas Gerais, Brasil https://orcid.org/0000-0002-1087-5228
  • Alecir Antônio Maciel Moreira Pontifícia Universidade Católica de Minas Gerais (PUC-MG), Belo Horizonte, Minas Gerais, Brasil https://orcid.org/0000-0002-6107-9782

DOI:

https://doi.org/10.5216/revgeoamb.i41.69727

Resumo

A bacia hidrográfica do rio das Rãs localiza-se na conjuntura regional do semiárido baiano e no curso médio do rio São Francisco. Diante das preocupações relativas as mudanças do clima, regiões semiáridas que têm nos recurso hídricos uma importantes preocupações se mobilizam para compreender, mitigar e construir resiliência para enfrentamento do problema. Rios, bacias e sua dinâmica são uma preocupações vitais. Nesse contexto, o objetivo deste trabalho foi analisar a dinâmica dos estoques de carbono e biomassas (acima e abaixo dos solos) em remanescentes de cerrado e caatinga, da/na bacia hidrográfica e seu entorno no período de 1973 a 2019. Em qual medida as ações derivadas das atividades econômicas afetaram os estoques de carbono e biomassa na bacia? Foram utilizados 17 inventários, 280 parcelas e 17.745 indivíduos como base de apoio à medição da biomassa e dos estoques de carbono (acima e abaixo do solo). Foram quantificados 4.169.071,36 ton. e 3.088.494,09 ton. de carbono acima e abaixo do solo, respectivamente. Nos 46 anos de análise, conclui-se que a agricultura regional influenciou na dinâmica dos estoques de biomassa e carbono na bacia, somadas as práticas como a exploração da vegetação para o carvão, pecuária, entre outras.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Carlos Magno Santos Clemente, Pontifícia Universidade Católica de Minas Gerais (PUC-MG), Belo Horizonte, Minas Gerais, Brasil

Doutorando pelo Programa de Pós-Graduação Stricto Senso em Geografia-Tratamento da Informação Espacial da PUC (MG). Graduado em Geografia e mestrado pela Universidade Estadual de Montes Claros - UNIMONTES. Coordenador do Observatório UniFG do Semiárido nordestino, do laboratório de geoprocessamento e educador no Centro universitário UniFG.

Alecir Antônio Maciel Moreira, Pontifícia Universidade Católica de Minas Gerais (PUC-MG), Belo Horizonte, Minas Gerais, Brasil

Possui graduação em Geografia pela Universidade Federal de Minas Gerais (1990), mestrado em Geografia pela Universidade Federal de Minas Gerais (1999) e doutorado em Geografia - Tratamento da Informação Espacial pela Pontifícia Universidade Católica de Minas Gerais (2015). Atualmente é Professor Assistente IV da Pontifícia Universidade Católica de Minas Gerais e professor permanente do Programa de Pós-graduação em Geografia - Tratamento da Informação Espacial. 

Arquivos adicionais

Publicado

2021-12-08

Como Citar

CLEMENTE, C. M. S.; MOREIRA, A. A. M. . ESTOQUES DE CARBONO E BIOMASSA NO SEMIÁRIDO BAIANO (1973 A 2019). Geoambiente On-line, Goiânia, n. 41, 2021. DOI: 10.5216/revgeoamb.i41.69727. Disponível em: https://revistas.ufg.br/geoambiente/article/view/69727. Acesso em: 1 jul. 2022.

Edição

Seção

Artigos