Reprodução social como trabalho e condição de existência

entrevista com Silvia Federici

Autores

Resumo

Silvia Federici nasceu em Parma, na Itália, em 1942, e nos anos 1960, foi viver nos Estados Unidos, onde mais tarde fundou com Mariarosa Dalla Costa e Selma James o International Feminist Collective (Coletivo Feminista Internacional), responsável pela campanha global Wages For Housework que reivindicava salário para o trabalho doméstico realizado por mulheres sem retribuição ou reconhecimento como uma demanda da economia feminista. Desde então, é uma figura central no desenvolvimento do conceito de reprodução social como uma chave para compreender as relações de classe, de exploração e de dominação no capitalismo. De 1987 a 2005, foi professora de estudos internacionais, estudos das mulheres e filosofia na Universidade de Hofstra, nos Estados Unidos, onde hoje é professora emérita. Nesta entrevista, Eliane Gonçalves e Mariana Prandini Assis conversam com Silvia Federici sobre sua trajetória pessoal e intelectual, teoria marxista e reprodução social, Simone de Beauvoir, maternidade, lutas emancipatórias contemporâneas, e cidades feministas.  

 

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Eliane Gonçalves, Universidade Federal de Goiás (UFG), Goiânia, Goiás, Brasil, elianego@ufg.br

Doutora em Ciências Sociais pela Universidade Estadual de Campinas (Unicamp) e professora da Universidade Federal de Goiás. 

Mariana Prandini Assis, Universidade Federal de Goiás (UFG), Goiânia, Goiás, Brasil, mariana.prandini@ufg.br

 Doutora em Política pela New School for Social Research (Nova Iorque) e professora da Universidade Federal de Goiás.

Downloads

Publicado

2022-12-20

Como Citar

GONÇALVES, E.; PRANDINI ASSIS, M. Reprodução social como trabalho e condição de existência: entrevista com Silvia Federici. Sociedade e Cultura, Goiânia, v. 25, 2022. Disponível em: https://revistas.ufg.br/fcs/article/view/74680. Acesso em: 2 mar. 2024.

Edição

Seção

Entrevista