Disputas sobre gênero e sexualidade: o papel de parlamentares progressistas na Câmara dos Deputados no Brasil

Autores

DOI:

https://doi.org/10.5216/sec.v25.71044

Resumo

A Câmara dos Deputados tem presenciado uma ofensiva conservadora desde meados dos anos 2000 contra os direitos das mulheres e da população LGBTI+. Este artigo objetiva discutir como parlamentares progressistas atuaram no debate e tramitação de dois projetos de lei exemplificativos da disputa naquele espaço: o PL 6583/2013 (busca instituir o Estatuto da Família) e o PL 7180/2014 (relativo ao projeto Escola sem Partido). Foram analisados 294 discursos proferidos em plenário sobre os projetos, e 294 fichas relativas aos pronunciamentos nas comissões. A análise mostra que há parlamentares que atuaram de forma ativa nos dois projetos, indicando um comprometimento em relação à defesa desses direitos; e de que esses/as deputados/as são de partidos de esquerda. Além dos discursos, parlamentares fizeram manobras objetivando a não votação dos projetos, sendo bem-sucedidos no caso do Escola sem Partido, e sendo derrotados no que se refere ao Estatuto da Família, aprovado em 2015.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Rayani Mariano dos Santos, Universidade Federal de Goiás (UFG), Goiânia, Goiás, Brasil, rayanimariano@ufg.br

Doutora em Ciência Política pela Universidade de Brasília e professora da Faculdade de Ciências Sociais da Universidade Federal de Goiás.

Downloads

Publicado

2022-07-06

Como Citar

MARIANO DOS SANTOS, R. Disputas sobre gênero e sexualidade: o papel de parlamentares progressistas na Câmara dos Deputados no Brasil. Sociedade e Cultura, Goiânia, v. 25, 2022. DOI: 10.5216/sec.v25.71044. Disponível em: https://revistas.ufg.br/fcs/article/view/71044. Acesso em: 6 out. 2022.

Edição

Seção

Dossiê: Representação na América Latina