A ascensão de Dilma Rousseff e Michelle Bachelet na presidência da República: trajetórias, significados e desafios

Autores

DOI:

https://doi.org/10.5216/sec.v25.70847

Resumo

O presente artigo procura evidenciar aspectos da trajetória de Dilma Rousseff e de Michelle Bachelet, até a chegada na presidência da República, os significados e os desafios de ser mulher em um lugar de poder político, historicamente masculino. Também se pontua a relação dessas mulheres com o feminismo e a importância disso na promoção de políticas para a igualdade de gênero. Trata-se de um estudo qualitativo pautado na metodologia comparada e interpretativa, cujos dados foram levantados por meio de pesquisa bibliográfica e de entrevistas semiestruturadas com ex-ministras de Dilma e de Bachelet e com mulheres integrantes de ONGs feministas. As análises são realizadas com base em referenciais teóricos de estudos sociológicos, feministas e de gênero.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Neiva Furlin, Universidade do Oeste de Santa Catarina (Unoesc), Joaçaba, Santa Catarina, Brasil, nfurlin@yahoo.com.br

Doutora em Sociologia pela Universidade Federal do Paraná e professora da Universidade do Oeste de Santa Catarina.

Downloads

Publicado

2022-07-06

Como Citar

FURLIN, N. A ascensão de Dilma Rousseff e Michelle Bachelet na presidência da República: trajetórias, significados e desafios. Sociedade e Cultura, Goiânia, v. 25, 2022. DOI: 10.5216/sec.v25.70847. Disponível em: https://revistas.ufg.br/fcs/article/view/70847. Acesso em: 7 out. 2022.

Edição

Seção

Dossiê: Representação na América Latina