Agora a cadeia pesou: aportes sobre os movimentos da Covid-19 no sistema prisional brasileiro

Autores

DOI:

https://doi.org/10.5216/sec.v24.66100

Resumo

O artigo parte de um trabalho qualitativo, de inspiração etnográfica, realizado em um presídio em Rio Grande, no Rio Grande do Sul, para explorar algumas dinâmicas da justiça criminal e do sistema penitenciário ocasionadas pela pandemia de Covid-19 em 2020. Nossa hipótese é que as dinâmicas recentes observadas por detrás das grades são reflexos de movimentos à frente delas, notadamente das decisões do Ministério da Justiça, mas também das facções prisionais, relevantes na análise. As conclusões dizem respeito às vivências de pessoas presas em um período de aguçamento de suas condições de visita e as moedas
de troca estabelecidas: a (iminência de) rebelião de um lado e a ausência de visitas, de outro. Distintos movimentos são analisados a partir das dinâmicas do Executivo e Judiciário, na esfera estatal, e da resposta dos presídios, no escopo do disciplinamento interno das penitenciárias. 

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Simone da Silva Ribeiro Gomes, Universidade Federal de Pelotas, Pelotas, Rio Grande do Sul, Brasil

Professora do Programa de Pós-graduação em Sociologia da Universidade Federal de Pelotas. Doutora em Sociologia pelo Instituto de Estudos Sociais e Políticos da Universidade do Estado do Rio de Janeiro e mestre em Sociologia pela Université Paris VII - Paris Diderot.

Eduardo Pinheiro Urrutia, Universidade Federal de Pelotas, Pelotas, Rio Grande do Sul, Brasil

Doutorando no Programa de Pós-Graduação em Sociologia na Universidade Federal de Pelotas. 

Downloads

Publicado

08-09-2021

Como Citar

da Silva Ribeiro Gomes, S., & Pinheiro Urrutia, E. (2021). Agora a cadeia pesou: aportes sobre os movimentos da Covid-19 no sistema prisional brasileiro. Sociedade E Cultura, 24. https://doi.org/10.5216/sec.v24.66100

Edição

Seção

Dossiê: Ciências Sociais e Covid-19