As mediações no desenvolvimento de um tratamento para a COVID-19: pescando actantes

Autores

DOI:

https://doi.org/10.5216/sec.v24.65870

Resumo

Este artigo tem como objetivo analisar sociologicamente as ações da ciência em busca de tratamento para a COVID-19. Para tal, este trabalho contou tanto com conhecimentos e relatos de campo elaborados por um cientista envolvido diretamente na pesquisa de um tratamento, quanto com uma análise das mediações a partir da sociologia das associações, prisma teórico proposto pelo sociólogo, antropólogo e filósofo Bruno Latour. Os esforços realizados pela ciência para buscar tratamentos para o novo coronavírus foram tomados, no presente texto, a partir de um caso específico: o trabalho de pesquisa que está sendo desenvolvido pelo Laboratório de Imunologia Molecular (MIL) da Universidade Rockefeller. A partir da descrição do caso, fomos capazes de relacionar a ação dos cientistas com os conceitos de Bruno Latour, como a mediação que envolve os artifícios utilizados para identificar, capturar e replicar as células B específicas que são capazes de combater o vírus, a ação dos não humanos necessários para isso, como o uso de uma isca proteica para “pescar” as células B, e o encadeamento desses elementos em forma de rede [RES] necessário para o desenvolvimento do tratamento. Com isso, esperamos demonstrar não só como a literatura
latouriana se manteve atual na descrição do trabalho da ciência, fornecendo ferramentas que nos ajudam a entender a dinâmica híbrida dessa atividade, mas também, como a continuidade de nossa permanência depende da articulação ou mediação criativa das descontinuidades e actantes que nos cercam.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Bruno Lorenzi, Universidade Federal de São Carlos, São Carlos, São Paulo, Brasil

Formado em Ciências Sociais, com mestrado em Ciência, Tecnologia e Sociedade e doutorado em Ciência Política pela Universidade Federal de São Carlos. Atualmente realiza pesquisa de pós-doutorado na Universidade Federal de São Carlos.

Tarcísio Cardoso, Universidade Federal da Bahia, Salvador, Bahia, Brasil

Professor da Faculdade de Comunicação da Universidade Federal da Bahia. Mestre em Comunicação e Semiótica  e doutor em Tecnologias da Inteligência e Design Digital pela Pontifícia Universidade Católica de São Paulo.

Julio Lorenzi, The Rockefeller University, Nova York, Estados Unidos

Possui doutorado em Ciências na área de concentração em Genética e mestrado em Ciências na área de concentração Imunologia Básica e Aplicada pela Universidade de São Paulo. Atualmente é pesquisador associado da Rockefeller University, com novo foco de pesquisa sobre a resposta imune em Covid-19.

Downloads

Publicado

08-09-2021

Como Citar

Lorenzi, B., Cardoso, T., & Lorenzi, J. (2021). As mediações no desenvolvimento de um tratamento para a COVID-19: pescando actantes. Sociedade E Cultura, 24. https://doi.org/10.5216/sec.v24.65870

Edição

Seção

Dossiê: Ciências Sociais e Covid-19