As políticas de desenvolvimento entre a sedução e a sedação

Resumo

O trabalho analisa a relação entre agricultores ecologistas e o Estado no oeste de Santa Catarina através da ação de mediadores. Dois aspectos desta conexão são examinados. Primeiramente, o espaço de atuação e o poder dos mediadores estabelecendo articulações entre os diferentes níveis da ação estatal (federal, estadual e local) e as organizações. Em segundo lugar, o tema do desenvolvimento e do Estado na condução de políticas e programas de intervenção. Resultados de pesquisa de campo de orientação etnográfica – conduzida entre 2008 e 2009 – sustentam, por um lado, que os mediadores possuem papel capital ao preencherem espaços potencialmente dinâmicos, estabelecendo relações e construindo formas de promoção da agricultura. De outro lado, a investigação mostra que, a partir deste amálgama de relações, o Estado é interpretado de modo ambivalente entre o desejo e a repulsa por parte dos agricultores, portanto cobrado por ações e simultaneamente avaliado por intervenções problemáticas.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Guilherme F. Waterloo Radomsky, Universidade Federal do Rio Grande do Sul

Professor Associado do departamento de Sociologia e do Programa de Pós-graduação em Sociologia da Universidade Federal do Rio Grande do Sul (UFRGS).

Publicado
14-05-2020
Como Citar
Radomsky, G. F. W. (2020). As políticas de desenvolvimento entre a sedução e a sedação. Sociedade E Cultura, 23. https://doi.org/10.5216/sec.v23i.61564
Seção
Artigos Livres