Hermenêutica bíblica da libertação

Resumo

Na primeira parte aborda-se a hermenêutica bíblica em geral, vista como um diálogo entre a comunidade de autor e leitores originais com o leitor que hoje entra na roda. A oposição feita por Paulo Apóstolo entre letra e espírito serve de ponto de partida para explicar a reconfiguração hermenêutica do sentido. O “espírito” no sentido de Paulo pode ser entendido como a apropriação do sentido, que na tradição cristã pode ser chamada o “sentido pleno” da Sagrada Escritura. De passagem avalia-se, por contraste, a hermenêutica fundamentalista. Enfim descreve-se a espiral hermenêutica da interpretação do texto e da práxis. Na segunda parte é evocada o afazer da hermenêutica bíblica da libertação: seu nascimento no contexto latino-americano, a experiência da leitura bíblica com o povo dos pobres, a afirmação de Jesus Cristo como critério dessa hermenêutica e as novas perspectivas que hoje se abrem a partir da hermenêutica da libertação: as leituras descolonial e ecológica.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Johan Konings, Faculdade Jesuíta de Filosofia e Teologia, Belo Horizonte, Minas Gerais

Doutorado em Teologia pela Katholieke Universiteit Leuven, Bélgica. No Brasil lecionou na PUC-RS e na PUC-RJ. Atualmente é Professor Emérito da Faculdade Jesuíta de Filosofia e Teologia (FAJE) em Belo Horizonte, Minas Gerais.

Publicado
05-08-2020
Como Citar
Konings, J. (2020). Hermenêutica bíblica da libertação. Sociedade E Cultura, 23. https://doi.org/10.5216/sec.v23i.59847
Seção
Dossiê: Cristianismo da libertação e teologia da libertação na América Latina