Modernidade e diversidade cultural: o limite é o mercado – um estudo de caso sobre o artesanato de capim-dourado no Jalapão

Autores

  • Thais Alves Marinho PUC-GOIÁS

DOI:

https://doi.org/10.5216/sec.v17i2.38279

Palavras-chave:

desenvolvimento local, economia criativa, modernidade, diversidade cultural.

Resumo

Este artigo visa discutir, num ambiente de diversidade cultural, como o anacronismo identitário atual, após frustrar a linearidade racionalista da modernidade, em vez de
deagrar a decadência desse pretenso sistema universalista se rearticula aos seus parâmetros, por meio do mercado e das conectividades técnico-informacionais. A análise
gira em torno de um estudo de caso sobre os conflitos sociais e identitários entre os atores envolvidos na produção de artesanato de capim- dourado, na região do Jalapão, no Tocantins. O sucesso do artesanato desse capim, tanto em âmbito nacional
quanto internacional, reete o retorno às tradições e à valorização cultural, que pode ser compreendido como uma tentativa de preencher o vácuo deixado pela perda da
transcendentalidade da cultura no ambiente de desencaixe da modernidade globalizada atualmente. Tais embates nos permitem compreender como a valorização cultural
e identitária pelo mercado pode signi?car a satisfação da dignidade e do bem-estar social dos artesãos de capim-dourado pela superação da inclusão periférica na economia. Essa valorização ainda alavanca o desenvolvimento local, enquanto desencadeia
novos conitos.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Downloads

Publicado

2015-10-26

Como Citar

MARINHO, T. A. Modernidade e diversidade cultural: o limite é o mercado – um estudo de caso sobre o artesanato de capim-dourado no Jalapão. Sociedade e Cultura, Goiânia, v. 17, n. 2, 2015. DOI: 10.5216/sec.v17i2.38279. Disponível em: https://revistas.ufg.br/fcs/article/view/38279. Acesso em: 8 ago. 2022.

Edição

Seção

Artigos Livres