Circulando imagens, circulam antropologias: mulheres, políticas do corpo e espetacularização da vida

Autores

  • Rosamaria Carneiro UnB

DOI:

https://doi.org/10.5216/sec.v17i2.38275

Palavras-chave:

imagens, antropologia, parto, sexualidade, pessoa.

Resumo

Este trabalho se dispõe a pensar sobre as noções de pessoa, corpo feminino e sexualidade a partir da circulação de imagens de e sobre partos no mundo virtual, mais
especialmente, nas redes sociais. Dessa maneira, tem por mola propulsora o registro imagético, que tanto movimenta a produção da antropologia quanto opera como
metacrítica, nos fazendo pensar, por último, sobre a sua própria tessitura. Em que pese não empreender um exercício de antropologia visual, parte de imagens e de
sua circulação para re?etir sobre a própria produção do fazer etnográ?co, sobretudo, a partir das discussões sobre autoridade etnográ?ca. Nesses jogos de imagens
de parto e de corpos de mulheres, percebe-se a profusão de leituras e de políticas do corpo feminino e da parturição, que tanto conformam outras imagens quanto
espetacularizam outras tantas já consolidadas e ainda vigentes. Nesse sentido, a ideia central é re?etir sobre gênero, ativismo, crítica social, saúde sexual e reprodutiva e
noção de pessoa na contemporaneidade a partir do que se vê na internet, mas também se lê e já se escutou; pensando com e através de outras linguagens e idiomas.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Downloads

Publicado

2015-10-26

Como Citar

CARNEIRO, R. Circulando imagens, circulam antropologias: mulheres, políticas do corpo e espetacularização da vida. Sociedade e Cultura, Goiânia, v. 17, n. 2, 2015. DOI: 10.5216/sec.v17i2.38275. Disponível em: https://revistas.ufg.br/fcs/article/view/38275. Acesso em: 8 ago. 2022.

Edição

Seção

Artigos Livres