A paisagem como dimensão simbólica do espaço: o mito e a obra de arte

Autores

  • LEONARDO H. G. FÍGOLI UFMG

DOI:

https://doi.org/10.5216/sec.v10i1.1720

Palavras-chave:

arte e imaginário, paisagem, arte e identidade, identidade regional, paisagem e simbolismo.

Resumo

A paisagem é um modo de representação da natureza; é uma imagem cultural do espaço geográfico. Como símbolo espacial de um imaginário, a paisagem aponta para um sentido, mais que ao entorno. No caso estudado, as letras e as artes plásticas foram essenciais na construção das representações do espaço regional e na elaboração das grandes imagens míticas. Esse sistema de representações tem a paisagem como símbolo dominante e constitui o fundamento de uma ideologia regional, bem como o da auto-imagem dos seus habitantes. Neste trabalho, procuramos compreender o significado da moderna produção artística de Alberto da Veiga Guignard. Focalizamos sua obra sobre a paisagem regional de Minas Gerais não como simples “visão de mundo”, mas como universo plástico articulado ao imaginário social, simultaneamente renovador e ordenador de valores míticos, porque a autêntica obra de arte é aquela que consegue ressuscitar ou restaurar o mito.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

LEONARDO H. G. FÍGOLI, UFMG

Professor associado do Departamento de Sociologia e Antropologia (SOA), da Universidade Federal de Minas Gerais (UFMG).

Downloads

Publicado

2007-12-05

Como Citar

FÍGOLI, L. H. G. A paisagem como dimensão simbólica do espaço: o mito e a obra de arte. Sociedade e Cultura, Goiânia, v. 10, n. 1, 2007. DOI: 10.5216/sec.v10i1.1720. Disponível em: https://revistas.ufg.br/fcs/article/view/1720. Acesso em: 18 abr. 2024.

Edição

Seção

Dossiê