Delegadas de polícia: profissionalismo e gênero

Autores

  • Maria Natália Barboza da Silveira Universidade Federal de São Carlos

DOI:

https://doi.org/10.5216/sec.v14i1.15689

Palavras-chave:

delegadas de polícia, profissão, gênero, Delegacias de Defesa da Mulher, Distritos Policiais

Resumo

O presente trabalho estudou a presença feminina na carreira jurídica de delegado de polícia, que é uma profissão tradicionalmente masculina. A Delegacia de Defesa da Mulher (DDM) foi avaliada para que se pudesse verificar se a reserva de mercado instaurada por esse órgão contribuiu para um processo de subalternização dessas profissionais perante os pares. O trabalho constatou que, se, por um lado, a inauguração das DDMs canalizou mais as mulheres para trabalharem nesses órgãos, por outro, contribuiu para um aprisionamento da trajetória profissional delas. Isso porque, para muitas delegadas, o trabalho em uma DDM é considerado um atravancamento para a carreira. A pesquisa foi realizada na cidade de São Paulo, onde foram estudados os distritos policiais e as delegacias de defesa da mulher. O estudo foi realizado de 2007 até 2009.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Downloads

Publicado

2011-09-19

Como Citar

SILVEIRA, M. N. B. da. Delegadas de polícia: profissionalismo e gênero. Sociedade e Cultura, Goiânia, v. 14, n. 1, p. DOI: 10.5216/sec.v14i1.15689, 2011. DOI: 10.5216/sec.v14i1.15689. Disponível em: https://revistas.ufg.br/fcs/article/view/15689. Acesso em: 14 ago. 2022.

Edição

Seção

Dossiê