O dilema racial brasileiro: de Roger Bastide a Florestan Fernandes ou da explicação teórica à proposição política

Autores

  • ELIANE VERAS SOARES UFPE
  • MARIA LÚCIA DE SANTANA BRAGA UnB/Iesb/Diap
  • DIOGO VALENÇA COSTA UFG

DOI:

https://doi.org/10.5216/sec.v5i1.551

Resumo

Resumo: Neste artigo, discutimos uma das vertentes de interpretação sobre as relações raciais no Brasil que emerge na década de 1950, a partir da pesquisa sobre relações raciais em São Paulo, realizada por Roger Bastide e Florestan Fernandes, sob os auspícios da Unesco. Aqui são destacados alguns pontos de aproximação e diferenças entre os pensadores, a fim de apresentar os contornos gerais de suas respectivas explicações teóricas relativas aos problemas do preconceito e discriminação raciais. Não supondo uma perfeita concordância e unidade de pensamento entre os dois cientistas sociais, mas também não percebendo suas abordagens como diametralmente opostas ou antagônicas e, sim, complementares, criticamos visões reducionistas que associam Roger Bastide a um paradigma tradicional-culturalista de explicação das relações raciais, aproximando-o da interpetação de Gilberto Freyre, e atribuem a Florestan Fernandes uma confusão entre as categorias de classe e raça, explicando a desigualdade racial como resultante da pobreza e não do preconceito e da discriminação. Por fim, a partir do resgate do significado das posições teóricas de Roger Bastide e Florestan Fernandes, procurou-se verificar como a explicação sociológica esboçada a partir dos anos 1950 se traduziu em proposições políticas de superação do dilema racial brasileiro, na atuação de Florestan Fernandes como deputado federal (1987-1994). Palavras-chave: Roger Bastide; Florestan Fernandes; dilema racial brasileiro; proposição política.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

ELIANE VERAS SOARES, UFPE

Professora do Departamento de Ciências Sociais e do Programa de Pós Graduação em Sociologia da Universidade Federal de Pernambuco. E.mail: eliane.veras@terra.com.br

MARIA LÚCIA DE SANTANA BRAGA, UnB/Iesb/Diap

socióloga, doutora em Sociologia pela Universidade de Brasília (UnB), professora do Instituto de Ensino Superior de Brasília (Iesb) e assessora parlamentar do Departamento Intersindical de Assessoria Parlamentar (Diap). E-mail: lucia@diap.org.br

DIOGO VALENÇA COSTA, UFG

Mestrando do Programa de Pós-Graduação em Sociologia da Universidade Federal de Pernambuco (UFPE). E-mail: valencadiogo@hotmail.com

Downloads

Publicado

2007-12-05

Como Citar

SOARES, E. V.; BRAGA, M. L. D. S.; COSTA, D. V. O dilema racial brasileiro: de Roger Bastide a Florestan Fernandes ou da explicação teórica à proposição política. Sociedade e Cultura, Goiânia, v. 5, n. 1, 2007. DOI: 10.5216/sec.v5i1.551. Disponível em: https://revistas.ufg.br/fcs/article/view/551. Acesso em: 2 fev. 2023.

Edição

Seção

Dossiê