ESPAÇO E MEMÓRIA: representações sobre a cidade nas crônicas de Lycidio Paes

Autores

  • Regma Maria dos Santos Universidade Federal de Goiás - Campus Catalão

DOI:

https://doi.org/10.5216/er.v13i2.16931

Resumo

Estas reflexões têm como objetivo enfocar as representações construídas por meio das crônicas escritas ao longo do século XX por Lycidio Paes em diversos jornais do interior de Minas sobre o espaço da cidade e a memória de seus habitantes. Essas crônicas versam sobre as transformações urbanas pelas quais passaram algumas cidades do interior mineiro. As crônicas constituem uma memória tecida cotidianamente, e nos permitem compreender as alterações pelas quais passam os sentidos dos homens que habitam as cidades com a inserção dos novos ritmos ditados pela modernidade. Os meios técnicos de comunicação como o rádio, o cinema, a televisão, o carro, passam a fazer parte de uma sociedade que se transforma e desencadeia novas atitudes e hábitos dos homens que viveram em meados do século XX. Do estranhamento à acomodação esses meios reformularam a paisagem urbana e imprimiram novas relações de trabalho e lazer, no espaço público e privado.

Palavras-chave: Cidade. Memória. Crônica. Século XX. Paisagem urbana.

Biografia do Autor

Regma Maria dos Santos, Universidade Federal de Goiás - Campus Catalão

Professora Associada do Departamento de História e Ciências Sociais UFG/CAC

Downloads

Publicado

07.02.2012

Como Citar

SANTOS, R. M. dos. ESPAÇO E MEMÓRIA: representações sobre a cidade nas crônicas de Lycidio Paes. Espaço em Revista, Goiânia, v. 13, n. 2, 2012. DOI: 10.5216/er.v13i2.16931. Disponível em: https://revistas.ufg.br/espaco/article/view/16931. Acesso em: 17 ago. 2022.

Edição

Seção

ARTIGOS/ARTICLES