AS AÇÕES DO NÚCLEO DE IDENTIDADES DE GÊNERO E SUBJETIVIDADES (NIGS) E A AGENDA POLÍTICA DE COMBATE À HOMOFOBIA, LESBOFOBIA E TRANSFOBIA NAS ESCOLAS

Autores

  • Mareli Eliane Graupe Universidade do Planalto Catarinense
  • Mirian Pillar Grossi Universidade Federal de Santa Catarina

Resumo

Este texto apresenta projetos de pesquisa e extensão que são desenvolvidos pelo Núcleo de Identidades de Gênero e Subjetividades (NIGS) no contexto da agenda política (internacional e municipal) de combate à homofobia, lesbofobia e transfobia nas escolas. O projeto “Papo Sério”: gênero, sexualidades e educação objetiva problematizar as representações de gênero, sexualidades e violências com jovens alunas/os das escolas públicas da Grande Florianópolis. O Concurso de Cartazes sobre Homo-lesbo-transfobia nas escolas visa à criação artística de cartazes alusivos às questões que envolvem homofobia, lesbofobia e transfobia nas escolas públicas. O concurso faz parte das ações do dia 17 de maio, dia Mundial de Combate à Homofobia e reconhecido em lei (Nº 7476 de 19 de dezembro de 2007) no município de Florianópolis/Santa Catarina como dia Municipal de Combate à Homofobia, Lesbofobia e Transfobia. O curso de formação continuada sobre Gênero, Sexualidades, Homo-lesbo-transfobia nas escolas busca contribuir na problematização e discussão de temas relacionados à convivência com as diferenças, sejam elas, racial, religiosa, de classe, gênero ou de orientação sexual.

Biografia do Autor

Mareli Eliane Graupe, Universidade do Planalto Catarinense

Professora no Mestrado em Educação na Universidade do Planalto Catarinense

Mirian Pillar Grossi, Universidade Federal de Santa Catarina

Graduação em Ciências Sociais pela Universidade Federal do Rio Grande do Sul (1981), mestrado em Antropologie Sociale Et Culturelle – Universite de Paris V (René Descartes) (1983), doutorado em Antropologie Social, Miriam Pillar Grossi é doutora em Anthropologie Sociale et Culturelle - Universite de Paris V (1988), pós-doutorado no Laboratoire d´Anthropologie Sociale do Collège de France (1996/1998), na University of California-Berkeley e EHESS (2009/2010). Professora Associada do Departamento de Antropologia da Universidade Federal de Santa Catarina desde 1989, atua nos Programas de Pós-graduação em Antropologia Social e Interdisciplinar em Ciências Humanas e no curso de graduação em Ciências Sociais da UFSC. Foi representante da Área de Antropologia e da Grande área de Humanas no CTC da CAPES (triênio 2001/2004), Presidente da Associação Brasileira de Antropologia (gestão 2004/2006) e editora da Revista Estudos Feministas (1999/2001). Desenvolve pesquisas sobre Teoria Antropologica, História das mulheres no campo antropológico, Antropologia Francesa contemporânea e Metodologias qualitativas de pesquisa. Coordena o NIGS, Núcleo de Identidades de Gênero e Subjetividades, onde são desenvolvidas pesquisas no campo das teorias queer e feminista sobre os temas de violências contra mulheres e lesbo-trans-homofobia; identidades, parentalidades e conjugalidads LGBTTT; arte homoerótica; amor; gênero e sexualidade na escola; religiões e sexualidades;politicas públicas e moviimentos feministas e LGBTTT.

Downloads

Publicado

30-03-2014