Bichos de rua, fotografia e vida urbana: três sobrevivências em três imagens de morte - DOI 10.5216/vis.v11i2.30691

Autores

  • Elane Abreu ECO-UFRJ

DOI:

https://doi.org/10.5216/vis.v11i2.30691

Resumo

Há uma posição ontológica sobre a morte na fotografia que a delimita por seu caráter de fixidez do tempo e mumificação do índice. Neste texto, a questão da morte aparece, mas nos insinua a pensá-la num diálogo mais abrangente, em consonância com a vida urbana, na qual o detalhe fotográfico destaca força expressiva da banalidade da morte animal nas ruas. Por três fotografias, questionamos: como é expressa certa postura estética ante a frivolidade dos descartes urbanos? O corpo do bicho morto aqui comparece num amálgama de carne e pedra, do qual destacamos a sobrevivência da forma, da matéria e da pele. São três manifestações do que insiste, apesar da morte, em imagem.

Palavras-chave: Fotografia, morte, vida urbana, sobrevivência

 

Downloads

Não há dados estatísticos.

Downloads

Publicado

2014-06-25

Como Citar

ABREU, E. Bichos de rua, fotografia e vida urbana: três sobrevivências em três imagens de morte - DOI 10.5216/vis.v11i2.30691. Visualidades, Goiânia, v. 11, n. 2, 2014. DOI: 10.5216/vis.v11i2.30691. Disponível em: https://revistas.ufg.br/VISUAL/article/view/30691. Acesso em: 21 maio. 2024.