A recepção da exposição de Arte Incomum e o problema da duração dos julgamentos artísticos - DOI 10.5216/vis.v8i2.18277

Autores

  • Arley Andriolo

DOI:

https://doi.org/10.5216/vis.v8i2.18277

Resumo

O termo “Arte Incomum”, criado no Brasil em 1981, pleiteava a formação de um campo para as obras inventivas produzidas por membros das classes populares no Brasil, ampliando o conceito francês de “arte bruta”. No entanto, o termo não foi muito usado pela crítica. Por meio de uma análise psicossocial da primeira exposição de Arte Incomum, pode-se compreender que o problema está na historicidade dos julgamentos artísticos constituídos no Brasil desde a década de 1950. Estes concebiam apenas duas categorias para as criações populares: “arte ingênua” e “arte psicopatológica”.

Palavras-chave: Arte Bruta, história da arte (século XX), recepção estética

 

 

Downloads

Não há dados estatísticos.

Downloads

Publicado

2012-04-27

Como Citar

ANDRIOLO, A. A recepção da exposição de Arte Incomum e o problema da duração dos julgamentos artísticos - DOI 10.5216/vis.v8i2.18277. Visualidades, Goiânia, v. 8, n. 2, 2012. DOI: 10.5216/vis.v8i2.18277. Disponível em: https://revistas.ufg.br/VISUAL/article/view/18277. Acesso em: 24 fev. 2024.

Edição

Seção

Artigos