Bioarte brasileira: as poéticas da vida artificial

Autores

  • Luciana Hidemi Santana Nomura

DOI:

https://doi.org/10.5216/vis.v8i1.18238

Resumo

Esta pesquisa objetiva mapear a produção brasileira contemporânea de uma das correntes da ciberarte, a chamada bioarte, mais especificamente a vertente da “arte da vida artificial”. Essa vertente é inspirada nos processos dinâmicos dos sistemas biológicos, baseada em computação evolutiva que promove a emergência de sistemas artificiais, dinâmicos e autosustentáveis,
denominados de vida artificial. A pesquisa ainda analisará as propostas poéticas destes artistas com ênfase na verificação das formas e níveis de interação destas obras, considerando as chamadas interação endógena, exógena ou mista. Paralelamente à investigação teórica será desenvolvida uma poética em bioarte que objetivará explorar as múltiplas possibilidades interativas de um sistema baseado em algoritmos evolucionários.
Palavras-chave:
Bioarte, vida artificial, arte e tecnologia

Downloads

Não há dados estatísticos.

Downloads

Publicado

2012-04-24

Como Citar

SANTANA NOMURA, L. H. Bioarte brasileira: as poéticas da vida artificial. Visualidades, Goiânia, v. 8, n. 1, 2012. DOI: 10.5216/vis.v8i1.18238. Disponível em: https://revistas.ufg.br/VISUAL/article/view/18238. Acesso em: 20 maio. 2024.

Edição

Seção

Painéis