Os habitantes da passagem - DOI 10.5216/vis.v7i2.18194

Autores

  • Tatiana Fecchio da Cunha Gonçalves

DOI:

https://doi.org/10.5216/vis.v7i2.18194

Resumo

Na produção cultural da humanidade, a nau se constitui como um elemento recorrentemente associado à descrição e caracterização da loucura. Por outro lado, a nau como um ícone de passagem também se apresenta em diversos mitos geralmente associada a estados de transitoriedade ou de transformação. Analisando diversas produções culturais nas quais o elemento barca aparece, este ensaio, se pautando na possibilidade de aproximação de elementos e conceitos recorrentes da cultura, pretende desvelar que além de ser o espaço da loucura um lócus socialmente designado ao confinamento e exclusão, inversamente caracteriza como possibilidade de preservação da alteridade e de inauguração de novos gestos.

Palavras-Chave: Loucura, alteridade, Nau, Sebastian Brant, Foucault, estudos Culturais

Downloads

Não há dados estatísticos.

Downloads

Publicado

2012-04-23

Como Citar

DA CUNHA GONÇALVES, T. F. Os habitantes da passagem - DOI 10.5216/vis.v7i2.18194. Visualidades, Goiânia, v. 7, n. 2, 2012. DOI: 10.5216/vis.v7i2.18194. Disponível em: https://revistas.ufg.br/VISUAL/article/view/18194. Acesso em: 30 maio. 2024.

Edição

Seção

Artigos