Tramas, tranças e cestarias - DOI 10.5216/vis.v6i1eI2.18107

Autores

  • José Antônio Gomes de Souza

DOI:

https://doi.org/10.5216/vis.v6i1ei2.18107

Resumo

Em tramas, tranças e cestarias procuro desenvolver um diálogo entre as artes plásticas e o artesanato. Recorro à técnica da trançagem e a diversidade de materiais como: couro de boi, plásticos, borrachas e papéis. Entrelaçando esses elementos em telas convencionais pintadas em outros tempos. Às vezes são trabalhos antigos com mais de dez anos, suportes de outras propostas e que agora, recorto e faço filetes. Um exercício de paciência em busca de manter constante e atual o passado, uma forma de trazer o passado ao presente e recorrer ao pas- sado para refazer o presente. O resultado são imagens ricas em efeitos de óptica, surpreendente pelas tramas criadas, que descaracterizam o antes visível a favor de uma nova imagem, em uma outra situação. Uso mais o estilete que o pincel, como forma de destruir para reconstruir, de fazer um novo trabalho, agregando outras cores e outros materiais, afinal são outras emoções. Respeito e desrespeito o passado, o já feito e visto. Em alguns desenhos, uso ferros de construção, linhas trespassadas geometricamente como queria Mondrian, numa natureza com dois ritmos fundamentais - o vertical e o horizontal.

Palavras-chave: Pintura, artesanato, desenho

Downloads

Não há dados estatísticos.

Downloads

Publicado

2012-04-18

Como Citar

GOMES DE SOUZA, J. A. Tramas, tranças e cestarias - DOI 10.5216/vis.v6i1eI2.18107. Visualidades, Goiânia, v. 6, n. 1 e 2, 2012. DOI: 10.5216/vis.v6i1ei2.18107. Disponível em: https://revistas.ufg.br/VISUAL/article/view/18107. Acesso em: 14 jul. 2024.

Edição

Seção

Painéis