Notas sobre paisagem, visão e invisão - DOI 10.5216/vis.v6i1eI2.18075

Autores

  • Karina Dias UFG

DOI:

https://doi.org/10.5216/vis.v6i1ei2.18075

Resumo

Em “Notas sobre paisagem, visão e invisão”, minha intenção é, através da minha prática artística, desenvolver a idéia de que a paisagem cotidiana se revela em meio às coisas, em um movimento acelerado de pontos de vista distintos, ela é passagem, um deslocamento do olhar. Experimentá-la então, seria como ativar um movimento do olhar onde ver e não ver se articulam, onde os pontos de não visão, de um certo estado de cegueira se transformam em invisão, em uma visão interna. E é nesta dialética entre ver e não ver, entre não ver e ver internamente que se constitui o que chamamos de paisagem. Aqui, não se trata de ver tudo, mas sim de se aproximar para habitar, de se situar para olhar no mesmo, no espaço de sempre, a diferença.

Palavras-chave: Paisagem, visão, invisão

Downloads

Não há dados estatísticos.

Downloads

Publicado

2012-04-18

Como Citar

DIAS, K. Notas sobre paisagem, visão e invisão - DOI 10.5216/vis.v6i1eI2.18075. Visualidades, Goiânia, v. 6, n. 1 e 2, 2012. DOI: 10.5216/vis.v6i1ei2.18075. Disponível em: https://revistas.ufg.br/VISUAL/article/view/18075. Acesso em: 20 maio. 2024.

Edição

Seção

GT2 - Poéticas Visuais e processos de criação