Entre contingências e experiências vividas... propostas para pensar um ensino crítico de artes visuais - DOI 10.5216/vis.v3i1.17934

Autores

  • Raimundo Martins UFG
  • Irene Tourinho

DOI:

https://doi.org/10.5216/vis.v3i1.17934

Resumo

O pensamento crítico tem recebido atenção de professores e investigadores do campo da educação mas, em menor grau, dos professores de artes visuais. Os paradoxos que vivemos – global/local, público/privado, identidade/diferença, conhecimento/sentimento – exigem uma teorização que nos ajude a articular práticas docentes com as questões sociais, políticas e culturais que as constituem. Este trabalho apresenta e discute três propostas críticas para pensar o currículo em artes visuais. Respondendo à necessidade de especular e abrir caminhos epistemológicos que ofereçam possibilidades de engajar professores de arte em práticas críticas, questões como ‘poder’, ‘saber’, ‘identidade’, ‘vida cotidiana’ e ‘afetos’ têm destaque nesta discussão.

Palavras-chave: pedagogia crítica, ensino de arte, currículo, prática educativa, experiência vivida.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Downloads

Publicado

2012-04-10

Como Citar

MARTINS, R.; TOURINHO, I. Entre contingências e experiências vividas... propostas para pensar um ensino crítico de artes visuais - DOI 10.5216/vis.v3i1.17934. Visualidades, Goiânia, v. 3, n. 1, 2012. DOI: 10.5216/vis.v3i1.17934. Disponível em: https://revistas.ufg.br/VISUAL/article/view/17934. Acesso em: 18 jun. 2024.

Edição

Seção

Artigos