CIPÓ-CRAVO (TYNNANTHUS FASCICULATUS MIERS – BIGNONIACEAE): ESTUDO FITOQUÍMICO E TOXICOLÓGICO ENVOLVENDO ARTEMIA SALINA

Autores

  • Camilo Carvalho
  • Sérgio Matta
  • Fabiana Melo
  • Daniel Andrade
  • Leandro Carvalho
  • Paulo Nascimento
  • Marcelo Silva
  • Marcelo Rosa

DOI:

https://doi.org/10.5216/ref.v6i1.5861

Palavras-chave:

Tynnanthus fasciculatus, toxicidade, Artemia, espectrofotometria.

Resumo

A Tynnanthus fasciculatus MIERS, conhecida na medicina popular como cipó-cravo, tem sido usada como estimulante, anti-helmíntica, afrodisíaca e no tratamento de problemas estomacais. Neste trabalho, uma prospecção fitoquímica visando identificar classes de compostos presentes no extrato aquoso, etanólico e em diclorometano do cipó-cravo foi realizada. Além disso, a DL50 do extrato aquoso da planta foi obtida com base em ensaios toxicológicos utilizando Artemia salina como bioindicador. Os resultados da prospecção fitoquímica indicaram a presença simultânea de taninos, flavonóides e heterosídeos cardiotônicos para os três extratos estudados. O extrato aquoso apresentou DL50 = 43,4 mg L-1, indicando uma alta toxicidade quando comparado a dados da literatura. A toxicidade acredita-se estar vinculada a presença de taninos. Portanto, este trabalho destaca, entre outros aspectos, o risco de exposição do usuário da planta na medicina popular. 10.5216/ref.v6i1.5861

Downloads

Não há dados estatísticos.

Downloads

Publicado

31-03-2009

Como Citar

Carvalho, C., Matta, S., Melo, F., Andrade, D., Carvalho, L., Nascimento, P., Silva, M., & Rosa, M. (2009). CIPÓ-CRAVO (TYNNANTHUS FASCICULATUS MIERS – BIGNONIACEAE): ESTUDO FITOQUÍMICO E TOXICOLÓGICO ENVOLVENDO ARTEMIA SALINA. Revista Eletrônica De Farmácia, 6(1). https://doi.org/10.5216/ref.v6i1.5861

Edição

Seção

Artigos Originais