ALERGIA ALIMENTAR E O CENÁRIO REGULATÓRIO NO BRASIL

Autores

  • Miriã Benatti Berzuino Universidade Presbiteriana Mackenzie
  • Rita de Cassia de Souza Fernandes Universidade Presbiteriana Mackenzie
  • Marina de Almeida Lima Universidade Presbiteriana Mackenzie
  • Andréa Carvalheiro Guerra Matias Universidade Presbiteriana Mackenzie
  • Isabela Rosier Olimpio Pereira Universidade Presbiteriana Mackenzie

DOI:

https://doi.org/10.5216/ref.v14i2.43433

Palavras-chave:

alergia, hipersensibilidade, rotulagem nutricional, consumidor

Resumo

A alergia alimentar é uma hipersensibilidade do organismo humano a determinadas proteínas que são reconhecidas erroneamente como antígenos, sendo o principal tratamento a eliminação do alimento alergênico, cujos principais responsáveis denominados Big Eight. O objetivo foi esclarecer as causas, mecanismos fisiológicos e consequências da alergia alimentar, além de estabelecer uma comparação das atitudes em termos de legislação no Brasil e de outros países do mundo, bem como elucidar sua epidemiologia e a fisiopatologia e evidenciar os alimentos envolvidos e principais tratamentos. Trata-se de um artigo de revisão cuja coleta se baseou em publicações nacionais e internacionais do Portal CAPES e Google Acadêmico, por meio da utilização das palavras-chave relacionadas, bem como livros e documentos oficiais. O Brasil, apesar de pioneiro na América do Sul, somente tornou obrigatória a declaração de alérgenos em 2016, diferentemente de outras regiões do mundo, cujas legislações já existem desde 2003. Observa-se que a maior expectativa das legislações visando os produtos industrializados é disponibilizar informações adequadas aos consumidores e melhorar a qualidade de vida dos alérgicos alimentares, sendo que é de obrigação comum a todos declarar os Big Eight.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Miriã Benatti Berzuino, Universidade Presbiteriana Mackenzie

Graduada em Farmácia / Centro de Ciências Biológicas e da Saúde da Universidade Presbiteriana Mackenzie

Rita de Cassia de Souza Fernandes, Universidade Presbiteriana Mackenzie

Graduanda em Nutrição / Centro de Ciências Biológicas e da Saúde da Universidade Presbiteriana Mackenzie

Marina de Almeida Lima, Universidade Presbiteriana Mackenzie

Graduanda em Nutrição / Centro de Ciências Biológicas e da Saúde da Universidade Presbiteriana Mackenzie

Andréa Carvalheiro Guerra Matias, Universidade Presbiteriana Mackenzie

Nutricionista, doutora pela Universidade de São Paulo – Docente do curso de graduação em Nutrição no Centro de Ciências Biológicas e da Saúde da Universidade Presbiteriana Mackenzie.

Isabela Rosier Olimpio Pereira, Universidade Presbiteriana Mackenzie

Farmacêutica, Doutora em Ciência dos Alimentos pela Universidade de São Paulo, professora dos Cursos de Farmácia e Nutrição da Universidade Presbiteriana Mackenzie.

Downloads

Publicado

2017-09-18

Como Citar

BERZUINO, M. B.; FERNANDES, R. de C. de S.; LIMA, M. de A.; MATIAS, A. C. G.; PEREIRA, I. R. O. ALERGIA ALIMENTAR E O CENÁRIO REGULATÓRIO NO BRASIL. Revista Eletrônica de Farmácia, Goiânia, v. 14, n. 2, 2017. DOI: 10.5216/ref.v14i2.43433. Disponível em: https://revistas.ufg.br/REF/article/view/43433. Acesso em: 3 dez. 2022.

Edição

Seção

Alimentos & Saúde