DIAGNÓSTICO SITUACIONAL DA ATUAÇÃO DOS CENTROS DE INFORMAÇÃO SOBRE MEDICAMENTOS NO BRASIL

Autores

  • Maria Aparecida Nicoletti Faculdade de Ciências Farmacêuticas da Universidade de São Paulo - Campus Capital Avenida Professor Lineu Prestes, 580 Departamento de Farmácia CEP 05508-900 São Paulo - Capital fone (11) 2648.0681 e-mail: nicoletti@usp.br http://orcid.org/0000-0002-9164-7111
  • Gabriela Rodrigues da Silva Marques Faculdade de Ciências Farmacêuticas da Universidade de São Paulo Avenida Professor Lineu Prestes, 580 Departamento de Farmácia CEP 05508-900 São Paulo - Capital telefone (11) 2648.0681
  • Sílvia Storpirtis Faculdade de Ciências Farmacêuticas da Universidade de São Paulo. Avenida Prof. Lineu Prestes, 580 Departamento de Farmácia CEP 05508-900 São Paulo - Capital
  • Patrícia Melo Aguiar Faculdade de Ciências Farmacêuticas da Universidade de São Paulo. Avenida Prof. Lineu Prestes, 580 Departamento de Farmácia CEP 05508-900 São Paulo - Capital telefone: (11) 2648.0681

DOI:

https://doi.org/10.5216/ref.v14i1.42695

Palavras-chave:

Medicamentos, Informação, Centro de Informações de Saúde.

Resumo

O repasse da informação de qualidade mostra-se atualmente como uma das principais ferramentas para o estabelecimento do uso racional de medicamentos. Diante de um cenário onde se consolidam inúmeras fontes de dados e conhecimento, de caráter científico ou não, é urgente a necessidade de análise de informação antes de sua aplicação farmacoterapêutica. Os Centros de Informação sobre Medicamentos (CIM) constituem em importante ferramenta para obtenção da informação sobre medicamentos, que poderá ser disponibilizada a diferentes públicos alvo. Foi realizada análise quali-quantitativa, descritiva e transversal, no período de dezembro de 2013 a março de 2014, envolvendo um elenco de 27 centros e serviços de informação sobre medicamentos brasileiros. Observou-se neste estudo que o número de CIM brasileiros é oscilante ao longo dos anos, muito embora seja crescente a iniciativa de se perpetuar a aplicação dos centros de informação de medicamentos ao longo do território nacional. Entretanto, os CIM precisam suportar entraves de diversas naturezas para a promoção de suas atividades, contribuindo para, na maioria dos casos, o não cumprimento de suas propostas iniciais, isto é, a prática de informação passiva em um tempo não satisfatório à necessidade da informação.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Maria Aparecida Nicoletti, Faculdade de Ciências Farmacêuticas da Universidade de São Paulo - Campus Capital Avenida Professor Lineu Prestes, 580 Departamento de Farmácia CEP 05508-900 São Paulo - Capital fone (11) 2648.0681 e-mail: nicoletti@usp.br

Possui graduação em Curso de Farmácia e Bioquímica pela Faculdade de Ciências Farmacêuticas - UNESP - Campus Araraquara (1980), Mestrado em Curso de Pós-Graduação em Fármaco e Medicamentos pela Faculdade de Ciências Farmacêuticas da Universidade de São Paulo (1994) e Doutorado em Curso de Pós-Graduação em Fármaco e Medicamentos pela Faculdade de Ciências Farmacêuticas da Universidade de São Paulo (1999). É especialista em Gestão da Assistência Farmacêutica pela Universidade Federal de Santa Catarina (UFSC). Tem experiência na área de Farmácia, com ênfase em desenvolvimento e produção de medicamentos e cosméticos, atuando principalmente nos seguintes temas: desenvolvimento de produto, controle de qualidade, estabilidade, farmacotécnica e atenção farmacêutica. Atualmente ministra as Disciplinas de Biofarmacotécnica e Tecnologia Farmacêutica e de Cosméticos aos alunos de graduação do Curso de Farmácia da Universidade Guarulhos (UnG - Ser Educacional). É Farmacêutica Responsável da Farmácia Universitária do Departamento de Farmácia da Faculdade de Ciências Farmacêuticas da Universidade de São Paulo (FARMUSP). Ministra o Módulo de Legislação Farmacêutica e Sanitária no Programa de Residência Farmacêutica em Farmácia Clínica e Atenção Farmacêutica da Faculdade de Ciências Farmacêuticas da Universidade de São Paulo, desde 2012. Foi Membro da Câmara Técnica da Associação Nacional de Farmacêuticos Magistrais (CTA-ANFARMAG).

Gabriela Rodrigues da Silva Marques, Faculdade de Ciências Farmacêuticas da Universidade de São Paulo Avenida Professor Lineu Prestes, 580 Departamento de Farmácia CEP 05508-900 São Paulo - Capital telefone (11) 2648.0681

Acadêmica do Curso de Farmácia da Faculdade de Ciências Farmacêuticas da Universidade de Sao Paulo - Campus Capital. Foi Bolsista do Programa Santander de Iniciação Científica. Atualmente faz estágio na Indústria Farmacêutica Eli Lilly do Brasil.

Sílvia Storpirtis, Faculdade de Ciências Farmacêuticas da Universidade de São Paulo. Avenida Prof. Lineu Prestes, 580 Departamento de Farmácia CEP 05508-900 São Paulo - Capital

Graduada em Farmácia e Bioquímica pela Faculdade de Ciências Farmacêuticas da Universidade de São Paulo - FCF-USP (1982 - Fármaco e Medicamentos), com mestrado (1987 - área de Controle de Qualidade de Medicamentos: Desenvolvimento de Métodos Analíticos) e doutorado (1992 - área de Farmacocinética) pela FCF-USP. Possui especialização nas áreas de "Biofarmácia e Farmacocinética" e "Farmácia Clínica" pela Universidade do Chile. Atualmente é Professora Associada do Departamento de Farmácia da FCF-USP, responsável pela disciplina "Biofarmacotécnica" (Biofarmácia) e co-responsável pela disciplina "Fundamentos de Farmácia Clínica e Atenção Farmacêutica" na FCF-USP. É orientadora de mestrado e doutorado e desenvolve pesquisas nas áreas de: 1 - Biofarmacotécnica (Biofarmácia) - com ênfase na avaliação da permeabilidade de fármacos e candidatos a fármacos por meio de culturas celulares in vitro; 2 - Farmácia Clínica e Atenção Farmacêutica. É responsável pela disciplina "Biofarmacotécnica: estudos de permeabilidade de fármacos" do Programa de Pós-Graduação em Fármaco e Medicamentos do Departamento de Farmácia da FCF-USP e pelo "Laboratório de Estudos de Permeabilidade de Fármacos por meio de Culturas Celulares In vitro" do mesmo Departamento. Foi Diretora-Técnica da Divisão de Farmácia e Laboratório Clínico do Hospital Universitário da USP (HU-USP) de 1992 a 2010 e Coordenadora do Curso de Especialização em Farmácia Clínica Hospitalar promovido pela FCF-USP e HU-USP de 1993 a 2010. Participou da elaboração e da revisão da regulamentação técnica brasileira sobre Medicamentos Genéricos e Similares e foi Consultora Técnica da ANVISA na área de Biodisponibilidade e Bioequivalência de Medicamentos no período de 1999 - 2006. Foi membro do Grupo de Trabalho de Bioequivalência da Rede Panamericana de Harmonização da Regulamentação Farmacêutica da Organização Pan-americana de Saúde/Organização Mundial da Saúde entre 2000 - 2006. É Membro do "USP Brazil Advisory Group" criado em 2008 para dar suporte às atividades técnicas e científicas da Farmacopeia Americana no Brasil. É responsável pelo Comitê Técnico Temático (CTT) de Equivalência Farmacêutica e Bioequivalência de Medicamentos da Farmacopeia Brasileira. É membro da Sociedade Brasileira de Farmácia Hospitalar e Serviços de Saúde (SBRAFH) e foi Presidente da Comissão de Título de Especialista em Farmácia Hospitalar concedido pela SBRAFH no período de 2005 a 2009. Assumiu a Coordenação Docente da Farmácia Universitária da FCF-USP (FARMUSP) em dezembro de 2007 e é responsável pela alteração do modelo de atuação desta Farmácia-Escola, reinaugurada como um Polo de Ensino, Pesquisa e Extensão à Comunidade em Assistência e Atenção Farmacêuticas. Coordena o Polo São Paulo do Curso de Gestão da Assistência Farmacêutica - Curso de Especialização à Distância (Convênio entre a Universidade Federal de Santa Catarina e a FCF-USP). Publicou mais de 70 artigos científicos em revistas indexadas e mais de 20 capítulos de livros. Publicou três livros pela Editora Guanabara Koogan - Grupo GEN: "Farmácia Clínica e Atenção Farmacêutica" em 2008; "Biofarmacotécnica" em 2009 e "Farmacocinética Básica e Aplicada" em 2011. É palestrante em eventos nacionais e internacionais em suas áreas de expertise. Colabora com as Agências Reguladoras da Colômbia e do Peru na implementação de estudos de bioequivalência de medicamentos.

Patrícia Melo Aguiar, Faculdade de Ciências Farmacêuticas da Universidade de São Paulo. Avenida Prof. Lineu Prestes, 580 Departamento de Farmácia CEP 05508-900 São Paulo - Capital telefone: (11) 2648.0681

Graduação em Farmácia pela Universidade Federal de Sergipe (2008). Mestrado em Ciências Farmacêuticas pela Universidade Federal de Sergipe (2010). Doutorado em Ciências pelo Programa de Pós-Graduação em Fármaco e Medicamentos da Universidade de São Paulo (2014). Foi tutora no Curso de Especialização em Gestão da Assistência Farmacêutica pela Universidade Federal de Santa Catarina (2012 -2015). Atualmente é pós-doutoranda pelo Programa de Pós-Graduação em Fármaco e Medicamentos da Universidade de São Paulo. Tem experiência em Farmácia Clínica, atuando sobretudo nos temas: Serviços clínicos farmacêuticos, Educação em saúde, Adesão ao tratamento, Saúde Baseada em Evidências, Geriatria, Hipertensão, Diabetes Mellitus tipo 2, Oncologia.

Downloads

Publicado

2017-05-28

Como Citar

NICOLETTI, M. A.; RODRIGUES DA SILVA MARQUES, G.; STORPIRTIS, S.; MELO AGUIAR, P. DIAGNÓSTICO SITUACIONAL DA ATUAÇÃO DOS CENTROS DE INFORMAÇÃO SOBRE MEDICAMENTOS NO BRASIL. Revista Eletrônica de Farmácia, Goiânia, v. 14, n. 1, 2017. DOI: 10.5216/ref.v14i1.42695. Disponível em: https://revistas.ufg.br/REF/article/view/42695. Acesso em: 5 mar. 2024.

Edição

Seção

Educação em Saúde