CARACTERIZAÇÃO DAS INFECÇÕES DO TRATO URINÁRIO EM MULHERES ATENDIDAS EM HOSPITAL UNIVERSITÁRIO DA REGIÃO CENTRO OESTE, BRASIL.

Autores

  • Nayara Messias da Silva FF/UFG
  • Ellen Synthia Fernandes de Oliveira
  • Ellen Synthia Fernandes de Oliveira
  • Luciana Alves de Oliveira
  • Luciana Alves de Oliveira

Resumo

A associação a fatores subjacentes, como no tratamento empírico, o uso indiscriminado de antimicrobianos ou uso recente e o longo tempo de internação, podem favorecer o agravamento da infecção do trato urinário (ITU) principalmente em mulheres. Este estudo objetivou caracterizar os registros de culturas positivas de urina de mulheres atendidas em um hospital universitário durante o período de janeiro a dezembro de 2011. Neste estudo, não houve diferença significativa entre as idades das pacientes com culturas positivas; e nem entre frequência das espécies bacterianas identificadas e os diferentes setores de coleta do hospital. O ambulatório (59,9%) solicitou mais uroculturas do que clínicas (23,5%) e serviço de urgência e emergência (16,6%). Entre os micro-organismos isolados, detectou-se Escherichia coli (69,2%), Klebsiella pneumoniae (11,4%), Proteus mirabilis (4,5%) e Pseudomonas aeruginosa (3,0%).

Downloads

Não há dados estatísticos.

Downloads

Publicado

2016-05-04

Como Citar

SILVA, N. M. da; DE OLIVEIRA, E. S. F.; DE OLIVEIRA, E. S. F.; DE OLIVEIRA, L. A.; DE OLIVEIRA, L. A. CARACTERIZAÇÃO DAS INFECÇÕES DO TRATO URINÁRIO EM MULHERES ATENDIDAS EM HOSPITAL UNIVERSITÁRIO DA REGIÃO CENTRO OESTE, BRASIL. Revista Eletrônica de Farmácia, Goiânia, v. 13, n. 1.1, 2016. Disponível em: https://revistas.ufg.br/REF/article/view/40789. Acesso em: 28 fev. 2024.

Edição

Seção

Suplemento Especial - 10o Congresso Regional de Análises Clínicas do Centro-Oeste (CRACO)