AVALIAÇÃO MICROBIOLÓGICA DE ÁGUA MINERAL COMERCIALIZADA NO MUNICÍPIO DE ITABUNA-BAHIA

Autores

  • Thiago Pereira Gomes Faculdade do Sul - FACSUL, União Metropolitana para o Desenvolvimento da Educação e Cultura (UNIME). Endereço: Campus I – Av. José Soares Pinheiro, 1600, Bairro Lomanto, Curso de Farmácia, CEP 45600-297, Itabuna, BA.
  • Jessen da Silva Santana Faculdade do Sul - FACSUL, União Metropolitana para o Desenvolvimento da Educação e Cultura (UNIME). Endereço: Campus I – Av. José Soares Pinheiro, 1600, Bairro Lomanto, Curso de Farmácia, CEP 45600-297, Itabuna, BA.
  • Lucas Ribeiro de Carvalho Faculdade do Sul - FACSUL, União Metropolitana para o Desenvolvimento da Educação e Cultura (UNIME). Endereço: Campus I – Av. José Soares Pinheiro, 1600, Bairro Lomanto, Curso de Farmácia, CEP 45600-297, Itabuna, BA.

DOI:

https://doi.org/10.5216/ref.v12i4.36762

Palavras-chave:

água mineral, coliformes, Pseudomonas aeruginosa

Resumo

O consumo de água mineral tem apresentado um crescimento devido à desconfiança da população em relação a água potável que muitas vezes apresenta odor e sabor desagradáveis. Sabe-se que a água mineral não é estéril e pode apresentar contaminação se não houver cuidados no seu envase nas indústrias. O objetivo desde trabalho foi avaliar a qualidade microbiológica da água mineral (envasada em garrafões de 20 litros), comercializada no município de Itabuna, Bahia, Brasil, no período de fevereiro a abril de 2012. Os microrganismos pesquisados pela Técnica da Membrana Filtrante foram Coliformes totais, Escherichia coli e Pseudomonas aeruginosa. Também foi avaliada a presença de enterobactérias, nas superfícies dos garrafões, pela Técnica de Esfregaço em Superfície. Os resultados foram interpretados com base na Resolução RDC nº 275 de 2005. Das 18 amostras analisadas, 44,5% apresentaram resultados positivos para Coliformes totais e 50% apresentaram contaminação por Pseudomonas aeruginosa. Uma única amostra (5,6%) apresentou positividade para Escherichia coli. A análise de enterobactérias evidenciou contaminação superficial dos garrafões em 83,3% das amostras. Os resultados evidenciaram que 13 amostras de água mineral apresentavam-se em condições impróprias para consumo, considerando os microrganismos estudados, e demonstraram a importância da higienização correta das superfícies dos garrafões.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Thiago Pereira Gomes, Faculdade do Sul - FACSUL, União Metropolitana para o Desenvolvimento da Educação e Cultura (UNIME). Endereço: Campus I – Av. José Soares Pinheiro, 1600, Bairro Lomanto, Curso de Farmácia, CEP 45600-297, Itabuna, BA.

Farmacêutico formado pela Faculdade do Sul - FACSUL, UNIME, Itabuna-BA.

Jessen da Silva Santana, Faculdade do Sul - FACSUL, União Metropolitana para o Desenvolvimento da Educação e Cultura (UNIME). Endereço: Campus I – Av. José Soares Pinheiro, 1600, Bairro Lomanto, Curso de Farmácia, CEP 45600-297, Itabuna, BA.

Graduanda do curso de Farmácia da Faculdade do Sul - FACSUL, UNIME, Itabuna-BA.

Lucas Ribeiro de Carvalho, Faculdade do Sul - FACSUL, União Metropolitana para o Desenvolvimento da Educação e Cultura (UNIME). Endereço: Campus I – Av. José Soares Pinheiro, 1600, Bairro Lomanto, Curso de Farmácia, CEP 45600-297, Itabuna, BA.

Docente do Curso de Farmácia e Enfermagem

Downloads

Publicado

31-12-2015

Como Citar

Gomes, T. P., Santana, J. da S., & Carvalho, L. R. de. (2015). AVALIAÇÃO MICROBIOLÓGICA DE ÁGUA MINERAL COMERCIALIZADA NO MUNICÍPIO DE ITABUNA-BAHIA. Revista Eletrônica De Farmácia, 12(4). https://doi.org/10.5216/ref.v12i4.36762

Edição

Seção

Volume Comemorativo dos 70 anos da Faculdade de Farmácia