CHEMICAL INTERACTION BETWEEN Struthanthus marginatus (Desr.) Blume AND TWO DIFFERENT HOSTS

Autores

  • Aline Moreira de Siqueira Universidade Federal de Juiz de Fora - Departamento de Botânica/ Laboratório de Etnobotânica
  • Bruno Esteves Conde Universidade Federal de Juiz de Fora - Departamento de Botânica/ Laboratório de Etnobotânica
  • Arthur Ladeira Macedo Universidade Federal Fluminense - Departamento de Química Orgânica
  • Luciana Moreira Chedier Universidade Federal de Juiz de Fora - Departamento de Botânica/ Laboratório de Etnobotânica
  • Daniel Sales Pimenta Universidade Federal de Juiz de Fora - Departamento de Botânica/ Laboratório de Etnobotânica

DOI:

https://doi.org/10.5216/ref.v13i4.36262

Palavras-chave:

Hemiparasitismo, hospedeiro, planta medicinal, Struthanthus marginatus

Resumo

Introdução: Struthanthus marginatus (Desr.) Blume (erva de passarinho) – Loranthaceae, é uma espécie hemiparasita conhecida por ser uma planta medicinal de uso popular para infecções das vias respiratórias. Alguns cuidados devem ser observados ao se utilizar essa planta como recurso terapêutico, atentando para a possível presença de substâncias tóxicas originadas de seus hospedeiros. Objetivo: Este trabalho tem como objetivo analisar a anatomia e avaliar a fitoquímica do hemiparasitismo de S. marginatus sobre os hospedeiros: Dombeya wallichii Benth. & Hook (dombéia) e Morus rubra L. (amora-negra), a fim de comparar se há variação química influenciada pelos hospedeiros sobre a espécie hemiparasita. Métodos: Para as análises fitoquímicas, foram realizadas extrações hexânicas e metanólicas das folhas e caules de S. marginatus, assim como os caules dos hospedeiros. Os extratos analisados por CG-EM e CLAE, além da realização de cromatografia em camada fina. Resultados: As análises do extrato hexânico revelaram que há sete substâncias semelhantes nas folhas das ervas, sendo que na erva coletada sobre D. wallichii as substâncias estão com maior intensidade, e além disso constatou a presença de duas substâncias a mais. Na análise dos extratos hexânicos, ?-amirina foi encontrada apenas na folha de S. marginatus sobre D. wallichii, sendo um possível indicador de diferença química influenciada pelos hospedeiros. Conclusão: O resultado do extrato metanólico constatou semelhanças entre as folhas dos parasitas, com presença de flavonoides, além de substâncias químicas observadas apenas em S. marginatus sobre D. wallichii, mostrando também variação química em hospedeiros diferentes.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Aline Moreira de Siqueira, Universidade Federal de Juiz de Fora - Departamento de Botânica/ Laboratório de Etnobotânica

Possui graduação em Ciências Biológicas pela Universidade Federal de Juiz de Fora (2011) e mestrado em Ecologia Aplicada à Conservação e Manejo de Recurso pela Universidade Federal de Juiz de Fora (2014).

Bruno Esteves Conde, Universidade Federal de Juiz de Fora - Departamento de Botânica/ Laboratório de Etnobotânica

Possui graduação em Ciências Biológicas pelo Centro de Ensino Superior de Juiz de Fora (2009) e mestrado em Ecologia pela Universidade Federal de Juiz de Fora (2012). Tem experiência na área de Ecologia, com ênfase em Ecologia, atuando principalmente nos seguintes temas: plantas medicinais, etnofarmacologia, etnobotânica, conhecimento tradicional e etnofarmacologia, plantas medicinais. (Departamento de Botânica/ Laboratório de Etnobotânica da Universidade Federal de Juiz de Fora)

Arthur Ladeira Macedo, Universidade Federal Fluminense - Departamento de Química Orgânica

Possui Bacharelado em Farmácia (2011) e Mestrado em Ciências Farmacêuticas com área de concentração em Produtos Naturais Bioativos (2013) pela Universidade Federal de Juiz de Fora. Atualmente é aluno do Programa de Doutorado em Química da Universidade Federal Fluminense. Tem experiência na área de Farmácia, com ênfase em Produtos Naturais Bioativos, atuando principalmente nos seguintes temas: Química de Produto Naturais, Atividades Biológicas de Produtos Naturais, Atenção Primária a Saúde e Fitoterapia.

Luciana Moreira Chedier, Universidade Federal de Juiz de Fora - Departamento de Botânica/ Laboratório de Etnobotânica

Doutora (2002) e Mestre (1995) em Ciências Biológicas (Botânica) pelo Museu Nacional - Universidade Federal do Rio de Janeiro. Graduada em Ciências Biológicas pela Universidade Federal do Rio de Janeiro (1992). Atualmente é professora adjunta III na Universidade Federal de Juiz de Fora. Tem experiência em docência, pesquisa e desenvolvimento tecnológico na área de Botânica Aplicada, atuando principalmente nos seguintes temas: Química de Produtos Naturais, Atividades Biológicas e Etnofarmacologia.

Daniel Sales Pimenta, Universidade Federal de Juiz de Fora - Departamento de Botânica/ Laboratório de Etnobotânica

Possui graduação em Engenharia Agronômica pela Universidade Federal de Viçosa (1989), mestrado em Fitotecnia pela Universidade Federal de Viçosa (1992) e doutorado em Biologia Celular e Molecular pela Fundação Oswaldo Cruz (2002), área de concentração em produtos naturais. Atualmente é professor associado da Universidade Federal de Juiz de Fora. Tem experiência na área de Botânica, com ênfase em Botânica Aplicada, atuando principalmente em ecologia química vegetal, química de produtos naturais, etnobotânica, produção de plantas medicinais e fitoterapia.

Downloads

Publicado

30-12-2016

Como Citar

de Siqueira, A. M., Conde, B. E., Macedo, A. L., Chedier, L. M., & Pimenta, D. S. (2016). CHEMICAL INTERACTION BETWEEN Struthanthus marginatus (Desr.) Blume AND TWO DIFFERENT HOSTS. Revista Eletrônica De Farmácia, 13(4), 212–219. https://doi.org/10.5216/ref.v13i4.36262

Edição

Seção

Avaliação Biológica e Farmacológica