AVALIAÇÃO DE PRESCRIÇÕES FARMACOTERAPÊUTICAS EM UM CENTRO DE ATENDIMENTO PSICOSSOCIAL (CAPS) DE UM MUNICÍPIO SITUADO NO SUDESTE GOIANO.

Autores

  • Orenito Simão Borges Júnior Aluno de graduação, Faculdade de Farmácia, Universidade Federal de Goiás.
  • Bruna Carolina Gonçalves da Silva Aluna graduação, Faculdade de Enfermagem, Universidade Federal de Goiás - Regional Catalão.
  • Luiza Carla Silva Guimarães Fernandes Aluna de graduação, Faculdade de Farmácia, Universidade Federal de Goiás.
  • Roselma Lucchese Professora Doutora, Faculdade de Enfermagem, Universidade Federal de Goiás - Regional Catalão.
  • Rodrigo Lopes de Felipe Professor Doutor, Faculdade de Enfermagem, Universidade Federal de Goiás - Regional Catalão.
  • Ivânia Vera Professora Doutora, Faculdade de Enfermagem, Universidade Federal de Goiás - Regional Catalão.

DOI:

https://doi.org/10.5216/ref.v13i1.36128

Palavras-chave:

Serviços de Saúde Mental, Cuidados Farmacêuticos, Prescrições Médicas.

Resumo

O aumento de prescrições medicamentosas nos Centros de Atenção Psicossocial (CAPS), adjunto ao seu alto potencial de interações, exigem a intervenção farmacêutica como um serviço conciliador da terapêutica, por ser capaz de identificar e prevenir potenciais problemas relacionados aos medicamentos, que comprometem o quadro clínico deste público e seu uso racional. Assim este estudo objetivou traçar o perfil farmacoterapêutico das prescrições medicamentosas pertencentes a usuários do sistema semi-intensivo de um CAPS, situado no sudeste goiano, através de uma análise observacional descritiva e transversal. Deste modo, foram analisados 228 prontuários, evidenciando prevalência de mulheres e baixo nível de escolaridade. Os prontuários abordaram a prescrição de 669 medicamentos, com prevalência da indicação de antipsicóticos. Houve grandes diferenças quanto aos esquemas terapêuticos individuais, com indicação de politerapia em 72,81% dos casos. Foram evidenciadas 150 (82,88%) prescrições que apresentaram de 1 (4%) a 11 (1,33%) interações. O risco de intoxicação cardíaca e consequente prolongamento do intervalo QT, foi o potencial problema prevalente, estando presente em 156 (42,16%) das interações. Os dados deflagrados apresentam algumas fragilidades da condução farmacoterapêutica neste serviço, demonstrando a necessidade da participação mais atenciosa e efetiva do farmacêutico no acompanhamento dos pacientes.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Downloads

Publicado

2016-03-31

Como Citar

BORGES JÚNIOR, O. S.; GONÇALVES DA SILVA, B. C.; SILVA GUIMARÃES FERNANDES, L. C.; LUCCHESE, R.; DE FELIPE, R. L.; VERA, I. AVALIAÇÃO DE PRESCRIÇÕES FARMACOTERAPÊUTICAS EM UM CENTRO DE ATENDIMENTO PSICOSSOCIAL (CAPS) DE UM MUNICÍPIO SITUADO NO SUDESTE GOIANO. Revista Eletrônica de Farmácia, Goiânia, v. 13, n. 1, p. 37–44, 2016. DOI: 10.5216/ref.v13i1.36128. Disponível em: https://revistas.ufg.br/REF/article/view/36128. Acesso em: 4 mar. 2024.

Edição

Seção

Farmácia Clínica, Assistência e Atenção Farmacêutica