AVALIAÇÃO DE PRESCRIÇÕES FARMACOTERAPÊUTICAS EM UM CENTRO DE ATENDIMENTO PSICOSSOCIAL (CAPS) DE UM MUNICÍPIO SITUADO NO SUDESTE GOIANO.

Autores

  • Orenito Simão Borges Júnior Aluno de graduação, Faculdade de Farmácia, Universidade Federal de Goiás.
  • Bruna Carolina Gonçalves da Silva Aluna graduação, Faculdade de Enfermagem, Universidade Federal de Goiás - Regional Catalão.
  • Luiza Carla Silva Guimarães Fernandes Aluna de graduação, Faculdade de Farmácia, Universidade Federal de Goiás.
  • Roselma Lucchese Professora Doutora, Faculdade de Enfermagem, Universidade Federal de Goiás - Regional Catalão.
  • Rodrigo Lopes de Felipe Professor Doutor, Faculdade de Enfermagem, Universidade Federal de Goiás - Regional Catalão.
  • Ivânia Vera Professora Doutora, Faculdade de Enfermagem, Universidade Federal de Goiás - Regional Catalão.

DOI:

https://doi.org/10.5216/ref.v13i1.36128

Palavras-chave:

Serviços de Saúde Mental, Cuidados Farmacêuticos, Prescrições Médicas.

Resumo

O aumento de prescrições medicamentosas nos Centros de Atenção Psicossocial (CAPS), adjunto ao seu alto potencial de interações, exigem a intervenção farmacêutica como um serviço conciliador da terapêutica, por ser capaz de identificar e prevenir potenciais problemas relacionados aos medicamentos, que comprometem o quadro clínico deste público e seu uso racional. Assim este estudo objetivou traçar o perfil farmacoterapêutico das prescrições medicamentosas pertencentes a usuários do sistema semi-intensivo de um CAPS, situado no sudeste goiano, através de uma análise observacional descritiva e transversal. Deste modo, foram analisados 228 prontuários, evidenciando prevalência de mulheres e baixo nível de escolaridade. Os prontuários abordaram a prescrição de 669 medicamentos, com prevalência da indicação de antipsicóticos. Houve grandes diferenças quanto aos esquemas terapêuticos individuais, com indicação de politerapia em 72,81% dos casos. Foram evidenciadas 150 (82,88%) prescrições que apresentaram de 1 (4%) a 11 (1,33%) interações. O risco de intoxicação cardíaca e consequente prolongamento do intervalo QT, foi o potencial problema prevalente, estando presente em 156 (42,16%) das interações. Os dados deflagrados apresentam algumas fragilidades da condução farmacoterapêutica neste serviço, demonstrando a necessidade da participação mais atenciosa e efetiva do farmacêutico no acompanhamento dos pacientes.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Downloads

Publicado

31-03-2016

Como Citar

Borges Júnior, O. S., Gonçalves da Silva, B. C., Silva Guimarães Fernandes, L. C., Lucchese, R., de Felipe, R. L., & Vera, I. (2016). AVALIAÇÃO DE PRESCRIÇÕES FARMACOTERAPÊUTICAS EM UM CENTRO DE ATENDIMENTO PSICOSSOCIAL (CAPS) DE UM MUNICÍPIO SITUADO NO SUDESTE GOIANO. Revista Eletrônica De Farmácia, 13(1), 37–44. https://doi.org/10.5216/ref.v13i1.36128

Edição

Seção

Farmácia Clínica, Assistência e Atenção Farmacêutica