FÁRMACOS PARA TURBINAR O CÉREBRO, USO POR QUEM PRETENDE ENTRAR NA UNIVERSIDADE

Autores

  • Nilton César Pasquini Universidade Federal de São Carlos-UFSCAR, São Carlos, SP

DOI:

https://doi.org/10.5216/ref.v12i3.34291

Palavras-chave:

Melhorar a concentração, Drogas, Mau uso, Psicoestimulantes.

Resumo

O estudo tem o intuito de verificar o grau de utilização de fármacos para turbinar o cérebro entre pretendentes a prestar vestibular. Dos 3553 alunos entrevistados, 1236 (34,8%) afirmaram ter usado ou fazer uso de algum estimulante cerebral, no entanto só foram considerados 710 (19,9%), pois estes souberam dizer o nome do fármaco, 255 (7, 2%) relataram ter usado e 455 (12,8%) que usa atualmente, 1209 (34,0%) afirmaram conhecer alguém que faz uso. Os fármacos utilizado para “turbinar” o cérebro foram: memantina ( 2,96%) , benzedrina (4,93%), donepezil (9,01%), metilfenidato amissulprida (19,87%) e modafinil (49%).

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Nilton César Pasquini, Universidade Federal de São Carlos-UFSCAR, São Carlos, SP

Instituto de Química, Departamento de Química Tecnológica

Downloads

Publicado

2015-09-30

Como Citar

PASQUINI, N. C. FÁRMACOS PARA TURBINAR O CÉREBRO, USO POR QUEM PRETENDE ENTRAR NA UNIVERSIDADE. Revista Eletrônica de Farmácia, Goiânia, v. 12, n. 3, p. 36–42, 2015. DOI: 10.5216/ref.v12i3.34291. Disponível em: https://revistas.ufg.br/REF/article/view/34291. Acesso em: 26 fev. 2024.

Edição

Seção

Artigos Originais