INTERAÇÕES MEDICAMENTOSAS VERIFICADAS EM UM GRUPO DE PACIENTES COM TRANSTORNO BIPOLAR

Autores

  • Renan Kubiachi Burque
  • Lenise Petter Francesconi Universidade Federal do Rio Grande do Sul
  • André Tavares Victorino
  • Marcello Ávila Mascarenhas Centro Universitário Metodista – IPA, Porto Alegre, RS.
  • Keila Maria Ceresér Universidade Federal do Rio Grande do Sul, Programa de Pós-Graduação em Ciências Médicas: Psiquiatria

DOI:

https://doi.org/10.5216/ref.v12i1.32787

Palavras-chave:

Interações de Medicamentos. Transtorno Bipolar. Atenção Farmacêutica.

Resumo

A farmacoterapia no Transtorno Bipolar (TB) visa diminuir a frequência e gravidade dos episódios. Nosso objetivo foi identificar interações medicamentosas em pacientes bipolares, através de um estudo transversal, em um hospital terciário, onde por um protocolo geral identificamos 150 pacientes e destes selecionamos 84 que eram polimedicados e/ou com comorbidades clínicas e/ou má-adesão, mas houve contato com apenas 51 e destes, 36 aceitaram participar. A coleta dos dados foi realizada pela análise de prontuário e entrevista. A classificação das interações considerou somente aquelas encontradas em pelo menos duas bibliografias idôneas, sendo estas classificadas conforme gravidade, e consideradas apenas as moderadas e graves. Identificamos 36 interações, sendo: entre não-psicofármacos (9), entre psicofármacos e não-psicofármacos (12), entre fármacos e álcool (5) e entre psicofármacos (10). A maior parte foi de gravidade moderada (31), porém 5 consideradas graves e destas, 3 desencadeiam cardiotoxicidade. Também identificamos que os pacientes utilizavam principalmente: estabilizadores de humor (32), antipsicóticos (26) e diuréticos (16). Nossos achados sugerem que as interações medicamentosas graves para os pacientes bipolares polimedicados podem desencadear outras complicações, como toxicidade cardíaca, associada à taquicardia. A identificação e monitoramento dos pacientes com TB poderá contribuir para uma melhora na conduta terapêutica e bem estar do paciente.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Renan Kubiachi Burque

Graduado em Farmácia pelo Centro Universitário Metodista – IPA, Porto Alegre, RS. Endereço: Rua Coronel Joaquim Pedro Salgado, 80, Curso de Farmácia, CEP 90420-060 , Porto Alegre, RS.

Lenise Petter Francesconi, Universidade Federal do Rio Grande do Sul

Farmacêutica, Mestre em Ciências Médicas (Universidade Federal do Rio Grande do Sul), aluna de Doutorado do Programa de Pós-Graduação em Ciências Médicas: Psiquiatria, da Universidade Federal do Rio grande do Sul . Endereço: PPG – Ciências Médias: Psiquiatria, UFRGS - Rua Ramiro Barcelos, 2400, 2º andar, CEP 90035-003, Porto Alegre, RS.

André Tavares Victorino

Graduado em Farmácia pela Universidade Luterana do Brasil - ULBRA, Canoas, RS. Endereço: Rua dos Silveiras 346, CEP 92030-290, Canoas, RS.

Marcello Ávila Mascarenhas, Centro Universitário Metodista – IPA, Porto Alegre, RS.

Farmacêutico-Bioquímico, Doutor em Ciências Cardiovasculares e Cardiologia (Universidade Federal do Rio Grande do Sul), Professor do Programa de Pós-Graduação em Biociências e reabilitação do Centro universitário Metodista – IPA, Porto Alegre, RS. Endereço: Rua Coronel Joaquim Pedro Salgado, 80, Prédio A, sala 001, CEP 90420-060, Porto Alegre, RS.

Keila Maria Ceresér, Universidade Federal do Rio Grande do Sul, Programa de Pós-Graduação em Ciências Médicas: Psiquiatria

Farmacêutica, Doutora em Ciências Médicas (Universidade Federal do Rio Grande do Sul), Professora do Programa de Pós-Graduação em Ciências Médicas: Psiquiatria, da Universidade Federal do Rio Grande do Sul e Pesquisadora do Laboratório de Psiquiatria Molecular do Hospital de Clínicas de Porto Alegre. Endereço: PPG – Ciências Médias: Psiquiatria, UFRGS - Rua Ramiro Barcelos, 2400, 2º andar, CEP 90035-003, Porto Alegre, RS.

Downloads

Publicado

2015-05-18

Como Citar

BURQUE, R. K.; FRANCESCONI, L. P.; VICTORINO, A. T.; MASCARENHAS, M. Ávila; CERESÉR, K. M. INTERAÇÕES MEDICAMENTOSAS VERIFICADAS EM UM GRUPO DE PACIENTES COM TRANSTORNO BIPOLAR. Revista Eletrônica de Farmácia, Goiânia, v. 12, n. 1, p. 11–26, 2015. DOI: 10.5216/ref.v12i1.32787. Disponível em: https://revistas.ufg.br/REF/article/view/32787. Acesso em: 15 jul. 2024.

Edição

Seção

Artigos Originais