QUALIDADE DAS PRESCRIÇÕES DE MEDICAMENTOS DE CONTROLE ESPECIAL EM UM MUNICÍPIO GAÚCHO

Autores

  • Tatiane Rodrigues Universidade de Passo Fundo Curso de Farmácia
  • Cristiane Barelli UNIVERSIDADE DE PASSO FUNDO
  • Carla Beatrice Crivellaro Gonçalves UNIVERSIDADE DE PASSO FUNDO Instituto de Ciências Biológicas/ Curso de Farmácia Faculdade de Medicina/ Área de Saúde Coletiva PRO-PET-SAÚDE de Passo Fundo, RS
  • Siomara Regina Hahn UNIVERSIDADE DE PASSO FUNDO Instituto de Ciências Biológicas/ Curso de Farmácia Residência Multiprofissional Integrada em Saúde
  • Maria Lúcia Dal Magro UNIVERSIDADE DE PASSO FUNDO Faculdade de Medicina/ Área de Saúde Coletiva Instituto de Ciências Biológicas/ Curso de Enfermagem PRO-PET-SAÚDE de Passo Fundo, RS
  • José Ivo Scherer UNIVERSIDADE DE PASSO FUNDO Faculdade de Medicina/ Área de Saúde Coletiva

DOI:

https://doi.org/10.5216/ref.v12i1.31701

Palavras-chave:

Psicotrópicos, uso racional de medicamentos, prescrições de medicamentos, erros nas prescrições.

Resumo

O objetivo foi verificar a qualidade da prática de prescrição e o cumprimento da legislação conforme a Portaria 344/98 em um município gaúcho, comparando o desempenho das prescrições entre serviço público e privado. Foi realizado um estudo descritivo, transversal, quantitativo e retrospectivo. Os dados foram coletados em prescrições e notificações de duas farmácias de naturezas jurídicas distintas. As variáveis incluem aspectos clínico-demográficos, legibilidade, cumprimento dos procedimentos legais e erros de prescrição, conforme as boas práticas de prescrição estabelecidas pela Organização Mundial da Saúde. Conforme o fluxo mensal de pacientes foram utilizadas 330 prescrições (120-farmácia pública e 210-farmácia privada). Para análise dos resultados foi realizada estatística descritiva e inferencial. Considerando os três grupos de variáveis (legibilidade, cumprimento dos procedimentos legais e aspectos técnicos) houve 39,4% de prescrições adequadas. Este desempenho foi melhor na farmácia privada, na qual os erros mais frequentes foram relativos ao cumprimento dos procedimentos legais. A legibilidade das prescrições teve um desempenho superior a de outros estudos, embora parte dos receituários não puderam ser decifrados, podendo comprometer o entendimento do paciente ou do profissional responsável pela dispensação. A qualidade das prescrições de medicamentos controlados dispensados no município avaliado está comprometida, especialmente pelo descumprimento de exigências legais.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Tatiane Rodrigues, Universidade de Passo Fundo Curso de Farmácia

Acadêmica de Farmácia.

Cristiane Barelli, UNIVERSIDADE DE PASSO FUNDO

Graduada em Farmácia Bioquimica (USP), mestre em Ciências Farmacêuticas (USP), especialista em Ativação de Processos de Mudança na graduação em Saúde (ENSP/ FIOCRUZ), Fellow (2009) do instituto FAIMER Brasil (UFC). Professor Adjunto da Universidade de Passo Fundo com experiência nas áreas de Farmácia e Medicina, com ênfase em Microbiologia Clínica e Saúde Coletiva, atuando principalmente nos temas: ensino na saúde; qualidade de vida dos estudantes da área da saúde; atenção primária; educação interprofissional; e avaliação do ensino-aprendizado.

Carla Beatrice Crivellaro Gonçalves, UNIVERSIDADE DE PASSO FUNDO Instituto de Ciências Biológicas/ Curso de Farmácia Faculdade de Medicina/ Área de Saúde Coletiva PRO-PET-SAÚDE de Passo Fundo, RS

Graduada Farmácia e Bioquímica Industrial (UFSM), especialista em Farmácia Hospitalar (UFPR), mestre em Medicina: Ciências Médicas (UFRGS), doutora em Ciências da Saúde: Cardiologia e Ciências Cardiovasculares (UFRGS), Fellow (2013) do instituto FAIMER Brasil (UFC). Professor adjunto da Universidade de Passo Fundo com experiência em Farmácia e Farmácia Hospitalar, atua nos temas: uso racional de medicamentos, farmácia hospitalar, educação permanente, assistência farmacêutica e saúde coletiva.

Siomara Regina Hahn, UNIVERSIDADE DE PASSO FUNDO Instituto de Ciências Biológicas/ Curso de Farmácia Residência Multiprofissional Integrada em Saúde

Possui graduação em Farmacia pela Universidade Federal de Santa Maria (1989), especialização em Saúde Pública pela Universidade de Ribeirão Preto (1992), mestrado Ciências Médicas pela Universidade Federal do Rio Grande do Sul (2006) é Especialista em Farmácia Hospitalar (SBRAFH) 2011. Atualmente é professor Adjunto II da Universidade de Passo Fundo. Tem experiência profissional na área de Farmácia, com ênfase em Farmácia Hospitalar, atuando principalmente nos seguintes temas: assistência farmacêutica, farmácia hospitalar e farmacoepidemiologia.

Maria Lúcia Dal Magro, UNIVERSIDADE DE PASSO FUNDO Faculdade de Medicina/ Área de Saúde Coletiva Instituto de Ciências Biológicas/ Curso de Enfermagem PRO-PET-SAÚDE de Passo Fundo, RS

Graduada em Enfermagem e Obstetricia e Licenciatura (UPF) , Especialista em Saúde Coletiva e em Enfermagem do Trabalho (UPF) e Mestranda em Gestão Pública - UTAD Universidade Trás os Montes e Alto Douro – Portugal. Professora dos cursos de Enfermagem e Medicina da Universidade de Passo Fundo. Extensionista do Centro Universitário de Saúde Coletiva/UPF. Tutora do PET-Saúde 2012-2014.

José Ivo Scherer, UNIVERSIDADE DE PASSO FUNDO Faculdade de Medicina/ Área de Saúde Coletiva

Graduado em Medicina (UPF), e doutor em Pediatria (Universidad Autónoma de Madrid), Fellow (2009) do instituto FAIMER Brasil (UFC). Professor da Universidade de Passo Fundo, coordenador do Curso de Medicina. Experiência na área de Medicina, com ênfase em Gastroenterologia e Nutrição Infantil, atuando principalmente nos seguintes temas: saúde da criança, nutrição infantil, saúde coletiva e educação médica.

Downloads

Publicado

2015-05-18

Como Citar

RODRIGUES, T.; BARELLI, C.; GONÇALVES, C. B. C.; HAHN, S. R.; DAL MAGRO, M. L.; SCHERER, J. I. QUALIDADE DAS PRESCRIÇÕES DE MEDICAMENTOS DE CONTROLE ESPECIAL EM UM MUNICÍPIO GAÚCHO. Revista Eletrônica de Farmácia, Goiânia, v. 12, n. 1, p. 44–59, 2015. DOI: 10.5216/ref.v12i1.31701. Disponível em: https://revistas.ufg.br/REF/article/view/31701. Acesso em: 27 maio. 2024.

Edição

Seção

Artigos Originais